sexta-feira, fevereiro 20, 2015

Maria Luís e Schäuble


• Pedro Bacelar de Vasconcelos, Maria Luís e Schäuble:
    «Foi um espetáculo inédito de humilhação gratuita de um estado soberano. Ao Ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, foi dada a oportunidade de exibir num espetáculo televisivo a Ministra das Finanças de Portugal, Maria Luís Albuquerque, como troféu de uma política europeia errada que destrói a solidariedade entre os povos, perturba o funcionamento dos sistemas políticos democráticos e ameaça a própria sobrevivência da União.

    Enquanto Schäuble mostrava a sua cobaia como prova do sucesso dos "programas de resgate" conduzidos pela "troika", o Presidente da Comissão, Jean-Claude Juncker, admitia o falhanço dos mesmos programas, denunciava a falta de legitimidade democrática da solução corporizada pela "troika" e pedia perdão pelas ofensas assim consumadas contra a dignidade dos povos da Grécia, da Irlanda e de Portugal! (…)»

9 comentários :

Anónimo disse...

Esta Maria Luis é mesmo uma parolinha, toda vaidosa! Cuidado com ela! Estava maravilhada a aspirar o perfume do aleijadinho!

Anónimo disse...

Um aleijado físico, outra aleijada mental. Dois vaidosos da política suicida que nos maltrata desde há mais de três anos.

Morgado De Basto disse...


Viver em Portugal,hoje,é um cansaço,uma aflição,um desgosto!(...)

A tropa fandanga que caiu na sopa dos portugueses é gente sem brio,sem honra nem patriotismo.Impreparada e mal intencionada,indiferente aos danos causados,segue em frente disposta a atropelar tudo e todos os que ousarem atravessar-se no seu caminho,rumo ao colo quente e doce do IV Reich.Um Fado,um fado desgraçado este, que esta nova direita trauliteira e analfabeta entoa a bandeiras desfraldadas enquanto semeia miséria,apodrece o país e nos atola,enquanto comunidade,numa descrença e desesperança depressiva.

Entretanto,O Partido Socialista hiberna.Não é frio nem quente,nem duro nem mole e eu vou perdendo a esperança e o viço que a eleição de António Costa(com o meu contributo empenhado)trouxe para muita gente.Oxalá a esperança de então não se transforme numa imensa desilusão.Se assim acontecer,as consequências vão ser muitas e graves para todo o sistema politico e partidário e as feridas que se abrirão no tecido social serão muito difíceis de cicatrizar no curto e médio prazo.

Fernando Romano disse...

Umas dicas... na onda do Morgado De Basto,

É possível que José Sócrates tenha perdido as eleições de 2011 nos últimos 30 dias que as antecederam quando as elites portuguesas, assarapantadas com a crise financeira internacional que não interpretaram corretamente, decidiram abandoná-lo com o fito de preservarem as suas regalias debaixo do chapéu de chuva do Estado e da ajuda externa.. Capitularam. Venderam-se a interesses estrangeiros. Temeram o povo e entregaram-se nas mãos dos bandos traidores que nos governam. Lembremos-nos de 1383-1385, 1580 e do período das invasões francesas. E do Estado Novo.... - que caíu de podre.

Isto, para dizer que compreendo as movimentações políticas de António Costa junto dessas elites, tentando puxá-las para o seu lado. É difícil ganhar eleições em Portugal sem as ter do seu lado. Mas António Costa está a distanciar-se muito do movimento que ele próprio desencadeou quando se dirigiu aos portugueses, desafiando-os para, com ele, alterar a desgraça em que nos atolámos no dia 5 de Junho de 2011. Esse movimento de esperança, com forte adesão, consubstanciado nas eleições primárias no partido, assente numa grande mobilização popular, está a esvair-se. O discurso de Costa está virado para as elites que, agora como no passado, têm um pavor imenso a qualquer transformação e às massas populares.

O Partido Socialista está na mesma (bastantes melhorias no parlamento), padecendo dos vícios dos outros, bem conhecidos, e nenhuma medida foi tomada a nível interno para deixar entrar essa nova lufada de ar fresco na sua vida interna. As bases do partido que quer oferecer uma alternativa a esta desgraça governativa continuam parasitando na vida política, com os olhos ferrados na televisão a consumir a bem orquestrada propaganda desta direita reacionária e vendida. Que pulula por toda a parte. Bases do partido que estão paralisadas, manietadas por grupos confortavelmente instalados em dezenas de autarquias. O PS nem um jornal online tem. É preciso discutir política até à exaustão. É preciso colocar um letreiro à porta de cada sede do partido com esta inscrição: "Aqui dentro só se fala de política" (nacional e internacional). As alterações e transformações na nossa sociedade para fazer frente à tragédia em que caímos têm de ser feitas da base para o topo e não o contrário, porque se for ao contrário (do topo para a base)nada mudará. É que eu estou a adivinhar uma ditadura de direita na Grécia e, depois, por tabela, outra em Portugal. Os militares, polícias e outros interesses conservados.... E as ditaduras são uma tragédia. A imagem deste post é um interessante lamiré disso.


abilio duarte disse...

INTEIRAMENTE DE ACORDO COM O QUE FOI
ESCRITO ANTERIORMENTE.É A REALIDADE.
ANTÓNIO COSTA ABRE OS OLHOS, E HOUVE O POVO.

Unknown disse...

o Povo houve... e já não há???

...olhaem...Vcs perderam TODA a razão que tinham e têm com essa canhalice do "aleijadinho"!!!!!!!

Anónimo disse...

Quantas tampinhas de plástico terá a frau Luis juntado para estar ali?

Rosa disse...



Vergonhoso!!

Marlilu Albuqueca disse...


Aleijadona!!