segunda-feira, abril 12, 2010

Preparem-se para o fartote de populismo (com uma boa dose de ignorância à mistura) das propostas do PSD para a “área social”


O liberalismo de Passos Coelho é só para quem pode. Para quem não pode, nada como uma dose de comunitarismo autoritário para colocar os malandros dos desempregados na ordem — dado que estar no desemprego é, atente-se, não contribuir para “Portugal” (seja lá o que isso for).

Para Passos Coelho, rendimento social de inserção (RSI) e subsídio de desemprego é tudo a mesma a coisa. É natural, porque direitos e mínimos sociais são aquelas coisas que não se aprendem a jogar à bisca lambida em Vila Real. E talvez escape a Passos Coelho a importância do facto de o RSI ser um contrato, procurando garantir, por exemplo, que as famílias enviam os seus filhos à escola (isto não é uma contribuição patriótica?).

Mas, uma vez que se fala de “contribuição”, o terrível Ângelo não poderia explicar a Pedro Passos Coelho que o subsídio de desemprego é uma prestação de cariz contributivo — ou, para o caso do líder do PSD não ter compreendido bem, ela é atribuída a quem descontou, ou seja, a quem já contribuiu?

3 comentários :

Nuno Simoes disse...

É sempre com encanto e divertimento que aprecio o choque de alguma esquerda às ideias de fazer depender os subsídios de algumas contrapartidas pessoais.
Então mas se uma pessoa está desempregada, e por definição desocupada. Se o que se pretende é que essa segurança seja o mais longa e robusta possível. Se o que se gasta em subsídios é muito mais do que o que se cobra em descontos... onde falha a matemática? Ou não podemos fazer contas?
E não se sentirão as pessoas mais uteis e enriquecidas nas suas competencias? E não se poderão mostrar elementos válidos e merecedores de um emprego num cenário como o que se pretende?

Parece que o mundo se divide em sortudos e azarados. Os sortudos têm o dever de descontar para os azarados terem o direito a receber.

Caty Waves disse...

Até já estou a ver os cambalachos a acontecer: "Olha Passos, estes desempregados são da esquerda pa, trabalhos forçados para eles. olha, estes até votam ppd ou cds, damos qualquer coisita aí num centro de convívio ou numa secretaría qualquer a ajudar a levar uns papéis para aqui ou acolá, ou a ir aos correios..qq coisa pra francês ver. Mas com os malandros de esquerda..trabalhos forçados, de preferência os xuxas.
Vai uma aposta?

José Arnaldo disse...

Dêsse-lhes "guita", sem pressas, e eles denunciar-se-ão, ou, mais provavelmente, denunciarão-se.

JADR