quinta-feira, Março 10, 2011

Os 14 pecados mortais do discurso de Cavaco



Os pecados mortais são 7. Mas, no discurso de ontem, Cavaco Silva cometeu 7x2 pecados:
    1.º Foi um discurso de facção, sectário, parcial e alinhado com a oposição. O discurso de um Presidente que decididamente não o é — nem quer ser — de todos os Portugueses.

    2.º Foi um discurso de interferência na acção governativa, oferecendo um programa governativo e não um projecto moderador.

    3.º Foi um discurso que efectua um diagnóstico truncado, enviesado e descontextualizado (quando não factualmente errado) da realidade. Entre outras coisas, ignorou a ocorrência da maior crise dos últimos 80 anos.

    4.º Foi um discurso vazio de ideias, sem inovação, limitando-se a coleccionar um conjunto de críticas requentadas e a repetir até à exaustão os pontos de vista da oposição. Em suma, uma espécie de pastiche da retórica anti-Governo.

    5.º Foi um discurso que chega a sugerir a importância de um entendimento político alargado, mas que adopta um tom de confrontação e atribuição de culpas (ora, não é com vinagre que se apanham moscas).

    6.º Foi um discurso populista, que não resistiu à demagogia barata e à diabolização da classe política.

    7.º Foi um discurso desleal para com o Governo legítimo do país.

    8.º Foi um discurso sem grandeza, que desfiou números e estatísticas, mas ignorou áreas de responsabilidade directa do Presidente da República, como a política externa, a defesa nacional ou a autonomia regional — revelando, assim, uma visão paroquial e contabilística da função presidencial.

    9.º Foi um discurso completamente inoportuno, para não dizer irresponsável ou mesmo anti-patriota: se há momento em que o país não precisa de conflito é o actual.

    10.º Foi um discurso decadente, sem rasgo, de uma pobreza retórica sem paralelo. Um discurso que não tem qualquer referência à História, à língua ou à vocação dos portugueses no mundo. Um discurso que, em vez de citar algum dos nossos grandes poetas, cita o boletim do Banco de Portugal.

    11.º Foi um discurso em plano inclinado, derrotista e lamuriento, que denigre o nosso país (ainda para mais, na presença de representantes estrangeiros) e que não oferece qualquer visão de esperança, sentido de futuro ou motivação inspiradora.

    12.º Foi um discurso incoerente: que lamenta que os jovens tenham que emigrar, mas se vangloria com os prémios por eles obtidos no estrangeiro; que invoca a necessidade de reduzir a despesa pública, mas ao mesmo tempo diz que há limites para os sacrifícios e apela a que o Estado apoie diversos sectores.

    13.º Foi um discurso insurreccional, apelando à sublevação popular e colando-se oportunisticamente ao descontentamento legítimo de alguns jovens. Um exemplo grotesco de aproveitamento político.

    14.º Foi um discurso serôdio e monolítico, com referências passadistas aos valores da Família, expondo um pensamento retrógrado, tacanho e conservador.

42 comentários :

Maria Henriques disse...

A bem dizer aquilo nem foi bem um discurso, foi mais um arroto provocado pelos ácidos do ódio.

Anónimo disse...

Há muito tempo que temos um presidente de facção... voltou o verdadeiro homem das escutas inventadas... que quer dar um golpe de inventonas e alimentar um projecto político pessoal.

Anónimo disse...

O sobressalto cívico deve começar contra todos aquelas que receberam o seu quinhão do buraco do BPN.

Anónimo disse...

Admirados por ter citado o governador do banco de portugal? Então o homem é mais um dos reformados do banco de portugal!

Anónimo disse...

Portugal bateu no fundo com um PR com esta falta de vergonha de caractér e falta de sentido de estado.
E eu que pensava que tinhamos batido no fundo com o famigerado governo Santana/Portas! Afinal havia outro momento ainda mais baixo da história da democracia Portuguesa. ESte tipo é pior que o BOtas, porque mais inculto e rancoroso.

Anónimo disse...

O buraco do BPN foi para a muitos lados... mais valias de favor para aqui... mais uns trocos para a familia... uns favores para quem não é bem família... E a malta toda paga!

Reformas acumuladas... e a malta paga!

Mais uns amigalhaços do grupo do BPN que trocam umas casas mais valiosas e muit mal explicadas... E a malta paga!

Mais umas viagens à Capadócia para satisfazer promessas antigas... E a malta paga!

É preciso é enganar a malta! Com um sobressalto cívico...

Está para nascer quem...

baladupovo disse...

Pode-se dizer que o Ganhuças-Bpn fez um 'Discurso Rasca' e aparvalhado.
Como é possível alguém que ocupa o lugar que ele ocupa, que está sempre a gabar-se dos seus doutos avisos e saberes económicos, como é que é possível ser-se tão rasca e obtuso para ignorar que o Mundo atravessa a maior Crise Económico-Financeira dos últimos 80 anos???
Como é que é possível um discurso tão rasca tão maldicente tão desistente tão desesperançado tão moribundo e tão contraditório com o que dizem as instituições europeias e mundiais???
Como é que é possível ignorar o diagnóstico da "bem-amada" Angela Merkel que, a par das grandes instituições internacionais, tem elogiado a coragem e as medidas acertadas do governo???
Como é que se explica um discurso tão obabbtuso tão estúpido e tão rasca???

Anónimo disse...

finalmente o discurso de cavaco foi igual a si próprio, sem vergonha, desonesto, tacanho, cobarde e vingativo. vamos ter que gramar 5 anitos de branqueamento & vingança e não há dissolvente que comova a nódoa.

Anónimo disse...

É muito amigo da FAMÍLIA... quanto é que a filha lucrou com as acções vendidas e recompradas através do Oliveira e Costa?

Anónimo disse...

O discurso da VERDADE deve começar com o BPN - o pote deu buraco: quem é que esgravatou no buraco do BPN, será Oliveira e Costa apaenas o conveniente testa de ferro para tudo o que se volatilizou...

Como sabemos, alguns também enriqueceram com o BPN, mas a sua dimensão não lhes permitiu ir além de PILHA-GALINHAS... por comparação, é claro!

Anónimo disse...

Gasta mais que a família real espanhola! Dê o exemplo. quanto é que custou a festança da AJUDA?

Anónimo disse...

Cavaco consegue a proeza única de ser o único Presidente da República que logo no inicio do segundo mandato não é o Presidente de todos os portugueses.

Anónimo disse...

Isto está ao nível de uma presidência que inventava notícias sobre escutas (todos ficámos a saber mais tarde quem é que estava sob escuta por ordem da corporação!)e fazia e distribuia dossiers sobre pessoas...

ZéBonéOaparvalhado disse...

O Dr Anibal, foi igual a ele próprio - No ISCEF/ISE - não conheço, professores e alunos, digam bem dele. - ele mostrou como é falso, como diz o AJJ, não merece o que o PPD fez por ele

É fanhoso

Anónimo disse...

O Aníbal em jovem não teve nenhum sobressalto cívico...

Anónimo disse...

Em jovem só teve o grande gesto de dizer que não era da lidação do sogro(?) ou da companheira dele...

E fala em família....

Pela dimensão da informação, avalia-se o quilate do informador...

nunocastro disse...

esqueceste de dizer que foi um discurso com grande impacte... Para o melhor ou para o pior. E é preciso tirar consequências dele, como bem sublinha Eduardo Pitta

Anónimo disse...

RUA COM ESTE PRESIDENTE. COMO É POSSIVEL TER UM DISCURSO DESTES NUMA TOMADA DE POSSE? AQUI SE DEMONSTRA COMO REAJE MAL ÁS CRÍTICAS SOBRE O SEU ENVOLVIMENTO NESSE CASO ESCABROSO DO BPN.É UM INDIVÍDUO RANCOROSO.NÃO É DIGNO PARA PRESIDENTE.NO ESTRANGEIRO,DEVEM PENSAR QUE É UM ATRASADO MENTAL.NÃO SE COÍBE DE PÕR O SEU PAÍS NO FUNDO!AO SÓCRATES,SÓ FALTAVA MAIS ISTO!!!!!!!

Anónimo disse...

Foi um discurso rasca de quem se sentiu à rasca com a vinda a lume das negociatas do BPN...

Anónimo disse...

Geralmente gosto de ler blogues de várias tendencias e reparo que os comentadores agem em forma de matilha, sejam de direita ou esquerda, ou seja, cada um comenta os seus.Por vezes lá aparece um comentador mais ousado que se aventura no campo alheio, mas é de tal modo logo achincalhado que fica com pouca vontade de voltar.
Outra nota muito desinteressante é que a realidade nos mostra que os comentadores de esquerda,sinistramente são muito, mas muito mais, malcriados

Anónimo disse...

Mas será nqwue se estava à espera de um discurso edificante?
Teria sido a primeira vez...
Quem o topa bem é o sr.Jardim, que quando está com os azeites (só?) diz das boas do nosso sr.Silva...

O rural disse...

Porra que estas minorias fazem tanto barulho que até parecem maiorias!

Parece que a campanha eleitoral continua!

Anónimo disse...

O discurso não é para ter coerência.
Quem pensa que há qualquer coisa elaborada, engana-se: é um discurso reactivo de um gajo que teve de optar entre as reformas e o ordenado, e o gajo tá f....

Estes reformados do banco de Portugal não perdoam quando têm de optar entre a reforma e o ordenado, lembram-se do outro reformado do banco de portugal que foi ministro do sócrates e teve de optar entre o ordenado e a reforma? Tá-se a ver, ficou f..., desde aí é só malhar.

É que há uns privilegiados (tão a ver os juizes) em que o sacrificios são só para os outros...

Isto é o sobressalto civico deles... e tá para nascer quem se lhes põe à frente...

Anónimo disse...

Despesa pública! Sempre que toca algum interesse próximo, é contra...

Forças armadas? Contra

Embaixadas? Contra

Colégios privados? Contra

Genéricos? Contra

Neste país, alguns fazem e muitos desfazem.

Uns puxam para cima... outros empurram para baixo.

Anónimo disse...

Também temos direito ao nosso bunga-bunga à moda de boliqueme

Ana Paula Fitas disse...

Caro Miguel,
Faço link.
Obrigado.
Abraço.

Miguel Abrantes disse...

Cara Ana Paula, muito obrigado.
Abraço

Visconde de Setubal disse...

Se não houvesse hipocritas na politica portuguesa,quem aplaudiu, com tanto entusiasmo os espirros de Cavaco Silva...em nome da seriedade intelectual e politica,deviam votar favoravelmente a moção de censura Francisco Louça.Haja deçencia meus senhores...

aires disse...

não esqueçam que este "presidente" foi vencido pela abstenção

o que afecta a sua ideia de um presidente rei,

que com sua rainha eleita

resgatariam Portugal das famigeradas leis antifamilia do vilão Socrates

dos deficits que pululam por todo o mundo em todos paises...

da sua imagem um misero, mas super kavacu enfim...

A.Pacheco disse...

Desculpem que vos digas mas este presidente é um autentico IDIOTA. em muito breve vamos ser chamados para eleiçõers antecipadas e vai haver novas eleições para Presidente da Républica

Anónimo disse...

Discurso pobre, miserabilista e rancoroso.Mas outra coisa não se esperava de alguém cuja estatura intelectual é comprovadamente fraca.Para mim foi um discurso feio mas sem surpresas.

Anónimo disse...

Também acho que vamos ter eleições para PR muito em breve...

Devia ser publicada a lista de pessoas que lucraram muito com o BPN... tantos mil milhões não são só desperdicio, há muita gente que lucrou e deve haver algum rasto.

Zé Rui disse...

Mas o homem disse alguma mentira? Sou faltou assumir a sua parte no descalabro, de resto foram apenas verdades.

Anónimo disse...

Custa ouvir as verdades, não custa?

o kavakas disse...

Este presidente é um traidor à democracia e à vontade do povo.
Rua com ele.

Anónimo disse...

além disso foi um discurso cruel

Anónimo disse...

Porque é que as verdades doem?

Sobral Cid disse...

É bacoco e perverso é de pasmar este discurso , mas em Portugal hoje é normalíssimo diz-me de onde vens extra terrestre compulsivo que arruina o bolo-rei ?

O Raio disse...

Eu até gostei do discurso pois é bonito ver alguém, mesmo uns 16 ou 17 anos depois, fazer uma autocritica assim tão violenta.

Bem sei que alguns interpretaram mal o discurso pensando que ele se referia ao governo actual.

Nada mais falso, Cavaco limitou-se a criticar alguns dos processos mais escandalosos do governo de que foi Primeiro Ministro.

Deve estar com remorsos de todo o mal que fez ao país.

Anónimo disse...

Um mau discurso???Não foi!!! E quem o diz é um dos execráveis cronistas de serviço do Correio da Manha, num dos seus vómitos matinais de criatividade ao estilo de Kadaffi.

R Cardoso

Luis Carvalho disse...

Uma coisa é certa. Foi um discurso fabntástico! O esquerdalho todo ficou a tremer e está indignadissimo. Só prova que de facto foi um BOM discurso.
Finalmente alguém neste país é capaz de mostrar o verdadeiro estado da nação. Estamos todos fartos da hipocrisias e fantasias do sr Pinto de Sousa.
E ainda falam da crise internacional ? Bolas, qual crise ? Será que é os 10% de crescimento da China, ou do aumento dos bilionários do Brasil para o dobro ? Ou será que é da crise da Alemanha ?

Miguel Vilas Boas disse...

Foi um discurso?? Foi uma avaliação e auto avaliação. Como docente indecente compreendeu que teve negativa, a roçar o zero!

Venha o Rei pois voltará quando o chamarem! (já dizia Pessoa)

E de preferência que nos salve da estupidez. Que nomeie o primeiro ministro (senão ainda temos lá os "homens da luta"), que limite a democracia ao necessário. Que controle o ensino, pois entre não ensinar e ensinar o que se ensina... Não me admirava que Portugal fosse contagiado pelas revoluções árabes. Reparem que só atingem repúblicas. Aos monarcas devem respeito, deverão liberdade (mais limitada eventualmente, mas mais justiça: seja social, laboral, seja o que fôr). Quando se dão roubos descarados são presos, sendo ou não ministro, sendo ou não diplomata... estes "senhores" mereciam o tribunal da praça pública (onde pedras voam e fruta podre também). Como Judas são, Judas teve vergonha e suicidou-se! Estes têm orgulho no que fazem :(