quarta-feira, julho 16, 2014

Março de 2011: o abade, a iniciar a procissão,
era mesmo o Presidente da República


Augusto Santos Silva, ontem na TVI 24: natalidade, mapa judiciário, Passos Coelho, Rui rio e BE. Pode ser visto aqui. Eis uma passagem:
    Augusto Santos Silva — (…) Eu acho que o caso do Bloco de Esquerda é um pouco mais profundo. O mínimo que se pode dizer é que, 15 anos depois da formação do Bloco de Esquerda, estas divisões mostram que a natureza grupuscular não desapareceu. Aliás, o Bloco de Esquerda nasceu da confluência de três correntes — a Política XXI, o PSR e a UDP — e, neste momento, há seis — estas três que eu disse, mais o partido Livre, mais o Manifesto 3D, mais a corrente que agora acho que se chama Movimento de Alternativa Socialista.

    Mas do ponto de vista estrutural, que é que o que nos deve interessar mais, eu acho que há aqui duas questões essenciais.

    A 1.ª questão é que o Bloco de Esquerda, que representou e bem um eleitorado jovem, urbano e muito ligado às chamadas novas causas, viu a sua agenda política esgotada no primeiro governo Sócrates e viu Sócrates esgotar-lhe a agenda política e ainda não se recompôs disso.

    Paulo Magalhães — É a tal agenda fracturante?

    Augusto Santos Silva — É a dita agenda fracturante. Para dizer de forma mais positiva, é a agenda dos direitos civis e da luta contra a discriminação e pela igualdade. (…)

    A 2.ª questão estrutural é o eleitorado que fez do Bloco de Esquerda uma força representativa, um partido médio, digamos assim, à escala portuguesa, não perdoou ao Bloco de Esquerda a sua opção em 2011, em Março de 2011. O Dr. Passos Coelho foi levado num andor para o Governo. Foi levado num andor muito canónico, isto é, com quatro pessoas a segurar: o Dr. Paulo Portas certamente, mas também o Dr. Mário Nogueira e, atrás, o Dr. Jerónimo de Sousa e o Prof. Francisco Louçã. Depois, o abade, a iniciar a procissão era mesmo o Presidente da República.

    Ora o eleitorado do Bloco de Esquerda não perdoou isso ao Bloco de Esquerda. Porque o eleitorado do PCP percebe, por mais estranho que isto pareça, que o PCP entenda que o PS é o seu inimigo principal. Mas o eleitorado do Bloco de Esquerda é tipicamente um eleitorado que oscila entre o PS e o Bloco de Esquerda. E o Bloco de Esquerda não se recompôs desse facto. (…)

24 comentários :

james disse...

Brilhante a metáfora da procissão.

Casimiro Baltazar da Conceição disse...


Brilhante a metáfora, também, mas acima de tudo certeira a análise!

E eu sou apenas mais um exemplo, entre MILHARES, SEGURAMENTE, de tudo (ou quase) aquilo que Augusto Santos Silva descreve: não votei Sócrates em 2005, mas no BE de Louçã (e no meu caso nem sequer pelas causas ditas fraturantes, mas mesmo pela postura política em geral), ainda votei no Sá Fernandes nas Autárquicas de 2007, mas descri do BE logo nas Europeias de 2009, quando me comecei a aperceber do PERIGO IMENSO que representaria, para a Esquerda, a perda da maioria absoluta do PS somada à perda da maioria de Esquerda no Parlamento e, SOBRETUDO, à okupação de Belém pelo facínora cavacão.


E logo aí, nas Legislativas de 2009, esse fenómeno de retração eleitoral do BE foi visível, quando não conseguiu cumprir as "promessas" das sondagens, que lhe davam mais de 15% dos votos nacionais.


Mas de facto o pior de tudo aconteceu a 23 de Março de 2011: o chumbo inexorável do PEC 4 e, pior do que isso, de uma forma irresponsável e completamente A REBOQUE DO ARGUMENTÁRIO DA DIREITA provocou o CHUMBO irrevogável de cerca de METADE DO ELEITORADO consolidado do BE! Fenómeno apenas comparável, em Portugal, ao "efeito PRD" sobre o PS de Almeida Santos, em 1985...


E esta perda de confiança eleitoral no BE será, seguramente, IRRECUPERÁVEL, como se tem vindo aliás a verificar, paulatinamente, eleição após eleição, em especial desde 2011...

Anónimo disse...

Fantástico!! Não aprenderam mesmo nada.
Este senhor contava que bastava a chantagem sobre a esquerda do PS para que todos os demandos fossem aceitáveis, enganou-se... e ainda não percebeu o que aconteceu...
Esperemos que a futura direcção do PS, seja ela qual for e se tiver uma nova oportunidade, não cometa os mesmos erros.

Ricardo Pinto disse...

Uma análise política brilhante, como é hábito no Augusto Santos Silva.

O anónimo daqui de cima (04:09:00) tem tanta razão no que diz que, a comprová-lo, aí estão os excelente resultados eleitorais do bloco desde 2009.

Que PARVO que sou disse...



Fantástico!!

O BE a esfarelar-se a cada minuto e este aborto vem para aqui falar de bugalhos...

Carlos Vale disse...

Não é certeira e por isso também não é brilhante. Estou de acordo, é uma missa semanal com aquele ar convencido, pausado, muito estudado, enfim uma aula de enganos, para apanhar ao sempre disponíveis para serem sempre enganados. Ou não tivesse sido ele um ministro de Sócrates, um dos responsáveis por tudo o que tem vindo a acontecer... CarlosVale

Anónimo disse...

Nestes comentários há gente de todos os quadrantes políticos, mas enfatize-se o ressabiamento dos berloques de esquerda...

Anónimo disse...

Tanta estupidez junta a de Augusto Santos Silva e o continuo mantra vitimista de que a esquerda anda aí para aprovar a agenda de patifarias e malfeitorias do PS nem que fosse uma dezena e meia de PECs com as ideias da tróica dentro.

Anónimo disse...

O Anónimo Ricardo Pinto engana-se, O anónimo daqui de cima... não é do bloco. Nem nos meus piores sonhos, alguma vez imaginei poder votar no BE.

Anónimo disse...

O A. Santos Silva é pura e simplesmente uma das poucas cabeças pensantes da nossa politica centro-esquerda! Completamente estruturado e sistematizado, profundamente culto e informado, seguro da sua experiencia de poder partidário e governativo, brilhante a argumentar no campo do adversário,sempre a ver à frente as manobras do xadrez. Claro que não é propriamente um simpático. Há mesmo nele uma certa distancia. É um argumentador frio e cínico, afirmando inteligência superior e arrogante através de um sentido de humor implacável.
Oxalá tenha futuro, como servidor da democracia, pois a sua acção sempre mereceu a confiança deste povo.

Anónimo disse...

ASS é brilhante. Esta metáfora da procissão é completamente certeira.

Anónimo disse...

Certeiro e desconcertante!

james disse...

qua Jul 16, 08:26:00 da tarde,

subscrevo por baixo.

Vieira disse...

E eu subscrevo por cima, pelos lados, enfim, abraço completamente o comentário.
...brincando com a tua redundância sem maldade, james.
Só para azucrinar os ressabiados que não sabem reconhecer a inteligência ou a cultura nem quando lhas esfregam na focinheira.
É-se sempre acusado de arrogância quando se sabe do que se fala.
Vieira

Anónimo disse...

Cuidai ante as declarações deste senhor. Ide, antes, perguntar ao Sócrates quem foi que o tramou. Se lerdes a entrevista a CFA, onde o próprio não poupou no vernáculo para nomear todos os actores, ficareis mais esclarecidos.

Anónimo disse...

Entre o sr Silva e o sr Marcelo a diferença não é muita.

A discussão para uma alternativa de ESQUERDA mão passa por aqui.



Anónimo disse...

O que o sr Silva não nos diz, é como um Governo do PS , vai fazer uma politica diferente da do PSD e do CDS.

As analises " brilhantes" derivadas certamente de brilhantina, caem por terra por serem de uma atroz DEMAGOGIA.

Com o Tratado Orçamental sem Reestruturação da dívida, o Estado Social desaparece.

A não ser que o sr Augusto Santos Silva, tenha na Manga um Cheque chorudo do Bill Gates , do George Soros, ou da Madame Bettencourt da l Oreal,de outra forma estão a vender ao povo GATO POR LEBRE.

Anónimo disse...

O Movimento 3D, tem na sua genese Mario Soares e Carvalho da Silva e os Debates da Aula Magna, e não me consta que nenhuma destas duas figuras tenham algo a ver com o BE.

O Partido Livre do Rui Tavares uma criação do PS , que lhe andou a recolher assinaturas para o legalizar, e que teve nas suas listas ao Parlamento Europeu várias pessoas apoiantes do PS, também tem muito pouco a ver com o BE, terá isso sim muito a ver com a Ana Gomes.

Quanto ás outras considerações, como anedota não está mal.

Conde de Oeiras e Mq de Pombal disse...


É bem patente o desprezo que os senhores dos berloques de Esquerda - BE e PCP - maniofestam face ao interesse nacional, que supostamente deveria estar acima dos interesses das suas capelinhas partidárias.

Continua a ser-lhes completamente impossível reconhecer que o apoio - mesmo que condicionado e conjuntural - ao PEC4, com o objetivo supremo de impedir o derrube da maioria de Esquerda na A. R. (mais do que previsível em Março de 2011), nunca seria uma cedência ideológica, programática, ou política grave (assim com NÃO foi o pedido de Cunhal para os Comunistas votarem em Mário Soares, ou melhor, CONTRA O REVANCHISMO DA DIREITA, corporizado nessa altura em Freitas do Amaral), pois estava justificada por esse superior interese nacional - na perspetiva da Esquerda, note-se!


Mas não, nem por um momento. De facto, os líderes partidários do BE e do PCP, insensíveis às trágicas consequências (mais do que previsíveis), para o Povo português, decorrentes do regresso triunfal da Direita mais reacionária desde o 25 de Novembro ao Poder, concentraram-se apenas nas suas esperanças (vãs) de mesquinhos ganhos partidários e toca pa diante, chumbando o PEC4.


Mas desenganem-se e não gastem o vosso Latim por estas bandas com as vossas calimerices estafadas, que aqui esse argumentário não tem efeito nenhum.


Ao contrário do que imaginam, aquilo que mais nos custa, a nós que somos de Esquerda, sem Partido definido e canónico, mas que sabemos em cada momento escolher quem nos parece merecer mais confiança na defesa dos nossos ideais e, sobretudo, NUNCA POMOS O INTERESSE PARTIDÁRIO OU DE FACÇÃO ACIMA DAQUILO QUE CREMOS SER O INTERESSE NACIONAL, aquilo que mais nos custou, dizia, não foi nem o chumbo do PEC4, nem sequer o derrube de José Sócrates: para além da vitória em toda a linha da Direita, o que mais nos custou foi ver a Esquerda a degladiar-se de uma forma FRATRICIDA, IRRESPONSÁVEL E IRREMEDIÁVEL à vista do Povo português, inviabilizando por muitos anos qualquer perspetiva de entendimento e cooperação entre as suas diferentes correntes e sensibilidades.


O pior mal provocado é na CONFIANÇA do Povo nestes Partidos, que dizendo defendê-lo provocaram a sua lenta e dificilmente recuperável destruição.


É por isso que o BE está como está. É por isso que o PS está como está. É por isso que toda essa merda em conjunto: PC, BE, MAS, Livre e etc. NÃO CONSEGUEM NEM NUNCA CONSEGUIRÃO ter qualquer espécie de sucesso eleitoral, político, ou hístórico.


Sois uns falhados, Kamaradas Deolindos.


Falhados e BURROS.

Anónimo disse...

O que catedráticos de filosofia como o Augusto Silva e retardados como o marquês de pombal defendem é uma ideia estalinista de poder.

Nós no PS é que sabemos qual o interesse do país e o PCP e o BE apenas andam aí para nos lavarem o rabinho. É o totalitarismo vindo de quem se reclama da democracia e confunde o interesse do país com o interesse de uma clique partidária a governar, a ocupar tachos e a todos os oedoliberalismos se submetern a senda dos ministros Bessas, Amados, Coelhos, Vitorinos e outra cangalhado com a moral de um Bento Vítor.

Zé dos Bigodes disse...



Retardado és tu e não é pouco, tonhinho.

Anónimo disse...

Pelos comentários aqui deixados pela esquerda facciosa ficamos a perceber que facilmente apoiariam o partido de Hitler, apenas para derrubar o que lá estivesse na altura, porque o que interessa é tirar seja quem for do poder que não seja o PCP ou o BE. As consequencias de se ficar ainda pior do que se já estava, bom, que se dane. Tivessem votado PCP ou BE. Né?
Cambada de imbecis...

Anónimo disse...

Estes irresponsáveis do BE (amamentados anos a fio pelo Prof. Louçã que desde que o primo tomou conta disto tudo decidiu ser apenas Professor Baralhador) de facto não servem para nada, apenas para jogar pingue pongue e virar os dedos para baixo nas alturas cruciais. São uns meninos do cu lavado, infantis, e incapazes de assumir responsabilidades. Ele há por la (ou na orla) honrosas excepções. O Semedo até me parece um homem bom e culto. Mas nunca cresceu e anda com aquela tolinha à perna. Sé lhes resta fade away. E ainda bem.

Jose Martins disse...

É espantoso como Sócrates "mexe" com esta gente.
Será que os PC,os BE,os Prof.(gente letrada acima da média),alguma Imprensa (a gente sabe porquê)e outros que por aí andam envergonhados (eventualmente prof. universitários e banqueiros também), especialmente os mais velhos (como eu já conto 63 primaveras), têm consciência do que fizeram às classes média e média-baixa, enfim às classes trabalhadoras e produtivas deste País. É que agora já é claro, clarinho, que o PEC IV era uma solução melhor que a TROIKA (vidé Espanha e Itália). É claro que nem é preciso argumentar com as promessas eleitorais à época, dos Srs. Passos Coelho e Portas, ou com as infantilidades politicas do Tózinho Seguro. Realmente Sócrates está, sempre esteve, sempre estará,"uns furinhos políticos acima da classe politica que presentemente nos inferniza.