sexta-feira, março 13, 2015

Cavaco visto pelos próximos

    «Ao longo da sua vida política, Cavaco Silva tem sido sempre fiel a um princípio: diz umas coisas que provocam umas explosões, que são percepcionadas fora do seu círculo de uma determinada maneira e que causam um determinado efeito político. Depois vem, todo cândido, afirmar que não disse nada do que os comuns mortais entenderam, muito menos quis dizer o que quer que fosse, e jura ter falado apenas de abelhas e passarinhos enleados num jardim.

    Cavaco, já se sabe, nunca erra, é apenas incompreendido. Por estes dias, assistimos a mais um destes episódios, com o prefácio que escreveu para "Roteiros IX", a nona compilação de intervenções sem grande história que faz ao longo dos meses. Já não é a primeira vez que, ao vazio genérico dos textos publicados, Cavaco Silva resolve adicionar picante nos prefácios onde dá a sua visão do mundo, numas análises que são uma espécie de "50 Sombras de Grey" da política.

    A cerca de um ano das presidenciais, resolveu pregar o que entende serem as qualidades necessárias ao desempenho, como ele o vê, da função de Presidente da República (….).

    (…) Que a campanha eleitoral já tinha começado, já se sabia. Mas que a direcção de campanha tinha gabinete em Belém é que é a notícia da semana.»

2 comentários :

Ana disse...

Cavaco??? Mas quem é esse?

Anónimo disse...

Não se pode esquecer o homem da alfarroba- isso não - por conseguinte, vai ficar na memória a raça humana que tudo sabe e nunca se engana

Zé da Adega