terça-feira, outubro 20, 2015

Como se inculca a TINA¹


Na romaria em defesa da TINA, coube ontem a vez de Freitas do Amaral. Na RTP3, o professor jubilado procurou transmitir a ideia de que seria uma espécie de porta-voz do sentimento do país (e, no íntimo, não dele próprio, que poderia ter uma posição distinta, não fosse a habituação de 40 anos do bom povo português): «A opinião pública não está preparada para isso. Durante 40 anos, habituou-se, bem ou mal, a que haveria ali um muro invisível, que não tem chave, que não quer acordos com aqueles partidos. Eu acho que, neste momento, seria uma má solução, sobretudo se for uma coligação formal. Se for um governo minoritário do PS, que o PC e o Bloco não inviabilizavam, já houve outros.» Nada de novo nas palavras de Freitas do Amaral. É que, em relação a outros 40 e tal anos, o professor só descobriu que a «opinião pública» estava preparada para a democracia no dia 25 de Abril.

PS — No mesmo programa da RTP3, foram convocados Helena Matos, Manuel Carvalho e João Marcelino para a análise política destes conturbados dias. Tendo os três comentadores a mesma posição, não bastava ter em estúdio apenas um deles, evitando o desagradável efeito do eco?

__________
¹ «There is no alternative».

6 comentários :

Anónimo disse...

Parece que ,depois de ouvir Costa e Catarina, vai haver TIA (There Is Alternative) e não TINA (There Is No Alternative).
As reacções nas redes sociais são muito interessantes. Ouvindo Costa dizer que pode haver governo à esquerda, não sei quem está mais triste, se os PAFs se os Seguristas.

Anónimo disse...

Atenção o Prof. Freitas do Amaral, eloquentemente, até foi muito aberto e favorável ao percurso de liderança (de uma solução) que o PS está a seguir. Um apoiante de A. Costa de peso. Apenas deu algumas opiniões muito prudentes e moderadas ... que deverão fazer o PS e quejandos, pensar ...e agir

Anónimo disse...

Notícia de última hora: José Manuel Fernandes e Duarte Marques abandonaram o país. Emigraram para a Gronelândia para ensinar os pinguins a escrever português. Piegas, não aguentaram.

Anónimo disse...

a dona ângela, jornalista online de O Sol ao Sábado dá conta de que a coligação quer já tomar posse no Domingo. Sendo quem é quem está em Belém é bem possível. Num ponto a Dona tem razão: vai ser difícil arranjar pessoal. Penso eu de que...é que a coisa tem ar de quinto governo provisório do vasquinho de Almada. Há dias o mesmo "semanário" rezava que seria um governo de combate: só pode! tipo missa dos fiéis defuntos, o que calha com a época. Tal como o quinto governo do vasquinho.

Jose Reis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vomidrine disse...



A TINA já só serve mesmo é para VOMITAR!