sábado, outubro 17, 2015

«Vamos dar nome às coisas?», pergunta Ana Lourenço



A entrevista de João Araújo a Ana Lourenço foi transmitida ontem, logo a abrir a Edição da Noite da SIC Notícias. O vídeo acima reproduzido transcreve parte da entrevista, que pode ser vista na íntegra aqui.

ADENDA — Na caixa de comentários deste post, um leitor chama a atenção para o seguinte:
    «A versão que o CC indica como integral (a publicada no sítio da SIC) não o é de facto. Faltam pelo menos os dois minutos finais. Esse final é importante porque condensa muito bem a mensagem sobre o descarrilamento da justiça portuguesa às mãos das suas corporações e seus síndicos políticos, que nos moldes actuais data pelo menos da instalação do processo Casa Pia, e que até hoje todas as conversas de chacha sobre reformas administrativas e outros entretimentos para Zé Povinho ver olimpicamente ignoram.

    Esse final, no entanto, está presente no pequeno clip do You Tube que vocês colocam à cabeça do post, a partir dos 04:04.

    Altamente recomendado!»

7 comentários :

Anónimo disse...

Os tempos estão perigosos. Pedro Adão e Silva já tinha feito referência a esta anunciada supremacia do Poder Judidical numa 'reunião magna'dos srs magistrados em Vilamoura, patrocinados , entre outros pelo BES.

Anónimo disse...

Ter magistarados à perna é mesmo de ter medo, muito medo.

Rosa disse...


Importante e claro...esperemos pela próxima semana...

Anónimo disse...

É um prazer ouvir João Araújo. Infelizmente, o nome que ele dá às coisas, está à vista de todos desde há algum tempo, de todos os que vêem e de todos os que não querem ver (como diz o barroco Vieira).

RFC disse...

Excelente porque isto é serviço público, Miguel.

Gungunhana Meirelles disse...

ATENÇÃO

A versão que o CC indica como integral (a publicada no sítio da SIC) não o é de facto. Faltam pelo menos os dois minutos finais. Esse final é importante porque condensa muito bem a mensagem sobre o descarrilamento da justiça portuguesa às mãos das suas corporações e seus síndicos políticos, que nos moldes actuais data pelo menos da instalação do processo Casa Pia, e que até hoje todas as conversas de chacha sobre reformas administrativas e outros entretimentos para Zé Povinho ver olimpicamente ignoram.

Esse final, no entanto, está presente no pequeno clip do You Tube que vocês colocam à cabeça do post, a partir dos 04:04.

Altamente recomendado!

Fafite Rocha disse...

O que pergunto é; Se Sócrates não tivesse sido preso estas pessoas viriam a publico denunciara afinal as injustiças tão graves como aquelas que expõem, ou, enquanto só eram presos os pequenos a coisa podia continuar que isso não os incomodaria? É no mínimo estranho que estes advogados, que já defenderam centenas de pessoas, muitas com toda a certeza, tendo em conta o que dizem da justiça, foram vítimas dela e sempre se calaram, nunca vieram a publico denunciá-lo. Afinal em que ficamos? Até à prisão de Sócrates a justiça funcionava bem e só começou a funcionar mal no dia em que lhe foi decretada prisão Preventiva? Estes senhores de uma forma ou de outra têm muito que explicar e tenho pena que a comunicação social., olhos nos olhos não lhes exija respostas para estas questões.