quinta-feira, julho 17, 2008

Jornalismo de excelência



Estou em condições de esclarecer que o título de hoje do Público - "Há 1,4 milhões de armas ilegais em Portugal" - peca apenas por alguma imprecisão.

Na verdade, as armas ilegais em Portugal são 1.400.027. Explicando melhor: 26 que foram apreendidas na semana passada, 1 que o meu avô tem lá em casa e para aí mais 1.400.000 calculadas a olho.

Tendo em conta que em Portugal há perto de 3,3 milhões de lares, e que poucos terão interesse em dispor de mais de uma arma, é fácil concluirmos que talvez 4 em cada 10 lares se encontrem armados. Vou começar a ter mais cuidado com os meus vizinhos.

Segundo a sondagem realizada pela PSP para o Público, a maioria serão armas de caça, mas o jornal não esclarece quantas. De que espécie de maioria estaremos a falar? Maioria absoluta, ou seja 701.000? Ou maioria qualificada de dois terços, o que daria pelo menos 933.333? Vendo bem, até é possível que as armas de caça sejam 1.399.999, deixando de lado apenas uma disputadíssima arma de guerra.

Como o Público não divulga a ficha técnica da sondagem, fica à nossa imaginação conjecturar que metodologia terá utilizado para chegar à referida estimativa. O inquérito terá sido telefónico ou porta a porta? A amostra foi estratificada? Como se controlou a qualidade das respostas recolhidas?

Enfim, detalhes a corrigir num próximo estudo que, todavia, em nada põem em causa a excelência do jornalismo do Público.

(A notícia de primeira página remete para as páginas 3 a 5 do jornal, mas só na página 3 se fala do assunto. As páginas 4 e 5 voltam ao problema da comunidade cigana da Quinta da Fonte, sem qualquer referência à questão das armas. Confuso, não é?)

6 comentários :

Anónimo disse...

O costume...

Anónimo disse...

Além de mim, os meus país tiveram mais dez filhos. Nem eu nem nenhum dos meus irmãos e cunhados possuímos qualquer arma. Tenho onze sobrinhos casados que também não possuem arma. Tenho quatro tios ainda vivos e um deles tem uma caçadeira.
A minha mulher tem cinco irmãos, e nenhum deles possui arma. O meu sogro tem uma caçadeira. A minha mulher tem treze tios vivos e apenas dois são caçadores. Em tantos lares e tão poucas armas.Antes de escrever este comentário dei-me ao cuidado de me informar com estes propri
etários das caçadeiras e todas elas estão registadas. Se o meu exemplo servir para aferir o número de armas que existem no país, poderá dizer-se que não existem armas ilegais. Esta é a minha verdade verdade: A do jornal é outra bem diferente...

Afonso Mesquita disse...

Sugiro a este último anónimo que se tranque em casa e não abra a porta a ninguém, nem sequer ao José Manuel Fernandes.

Rogério disse...

Ó Abrantes:
As armas legais, segundo dados oficiais, são cerca de 1.300.000.
Com o jeito que tens para a piada também podias fazer uma piada com este dado.

Miguel Abrantes disse...

Ó Rogério:
A tua ideia é excelente. Remete-a para o autor do post, o Afonso. Eu estou hoje sem tempo.

O escriba disse...

Será o micotico cerebral MJF chefe de alguma quadrilha de malfeitores?

Com estas certezas porque espera o PGR para o inquirir pelo numero, assim como pela afirmação tão categorica?
Porque espera MP?