sexta-feira, novembro 20, 2009

Notícias sobre o Face Oculta? É só dividir por dez

A "notícia":

Caução milionária para Penedos
Paulo Penedos, filho do presidente do conselho de administração da REN, alega que está na falência. A informação de que está afogado em dívidas foi dada pelo seu advogado, anteontem, ao juiz de instrução de Aveiro, depois de o Ministério Público ter proposto que lhe fosse aplicada uma caução de 250 mil euros.

A "realidade":

Paulo Penedos pode continuar a falar com o pai

O arguido do processo 'Face Oculta' Paulo Penedos pode continuar a falar com o pai, apesar dos dois estarem envolvidos no processo 'Face Oculta'. O Tribunal de Aveiro deu esta sexta-feira a conhecer as medidas de coacção do advogado.
Paulo Penedos está acusado de um crime de tráfico de influências e ficou sujeito às seguintes medidas de coacção: pagamento de uma caução de 25 mil euros, proibição de contactar com os restantes arguidos, à excepção do pai, José Penedos, proibição de contacar com funcionários da REN e de entrar nas instalações da referida empresa.

7 comentários :

Anónimo disse...

Uma correcção importante. O Paulo Penedos está indiciado, não está acusado de nada, pelo menos por enquanto. Segundo o MP existem indícios de ter praticado um crime. Parece que eram dois. Até ao fim do inquérito, podem não se confirmar os indícios, ou podem ser reforçados. Mas, por enquanto, está apenas indiciado por um crime. Atenta a natureza do crime e os valores em causa, ou o crime é de pouca gravidade ou a sua participação no mesmo é fraca.

Anónimo disse...

Nenhum destes arguidos ou suspeitos virá a ter direito a um julgamento equitativo. É o que tem acontecido sistematicamente na justiça portuguesa. A violação sistemática do segredo de justiça, o populismo policial e judiciário, o justicialismo de alguns comentadore, tornaram a justiça numa farsa. O anterior governo também não está isento de culpas. Depois de uma entrada de leão, vergou-se às corporações, nomeadamente a essa força eficazmente subterrânea que se chama Polícia Judiciária. Deu vontade de rir a cerimónia em que o ministro assina a sua despedida medalhando os teófilos da companhia. Já lá estavam as escutas...

Anónimo disse...

É preciso criar uma corporação anti-corporações. Ou será que já existe?

Anónimo disse...

Iria mais longe. Criar uma corporação contra as corporações que são contra as corporações. O argumento fascista é sempre assim.

jojoratazana disse...

Este blog tem algo de Norte Coreano ou Cubano.
Tem censura prévia.
Saudades da Pide?
Esta também não gostava da PJ e dos juízes só gostava daqueles que iam aos tribunal plenário.

Anónimo disse...

A PIDE e a PJ eram afins...

jojoratazana disse...

Anónimo Anónimo disse...

A PIDE e a PJ eram afins...

Estavas a par para afirmar semelhante bacorada?
jojoratazana.