terça-feira, julho 22, 2014

Em sete décadas

Fonte
Clique na imagem para a ampliar

11 comentários :

praianorte disse...

Para uns crescerem de tamanho outros diminuíram, aconteceu com a Rússia, URSS, Alemanha, Jugoslávia, Paquistão e tantos outros, incluindo Portugal. A guerra foi e será sempre o meio para que tal aconteça, infelizmente é assim.
Obs. sou partidária da paz.

Luis Alves Ferreira disse...

Não vale a pena remar contra a maré. A sucessão de mapas é perfeitamente clara, da mesma forma que é claro que existindo um conflito entre civilização e barbárie a opção deve ser evidente...
Não obstante existirem inocentes em qualquer dos lados, é perceptível que num deles está a democracia e no outro o fascismo totalitário de natureza político religiosa. Estas deveriam ser evidências suficientes para mudar a abordagem politicamente correta que há décadas influencia este (e outros) conflitos, perpetuando-os...

Anónimo disse...

Será democrata um regime que chacina e ocupa territórios dos outros povos?

Anónimo disse...

O primeiro mapa está errado. Em 1917, a terra não pertencia aos palestinianos mas sim ao Reino Unido e antes disso ao império Otomano.

Anónimo disse...

Por mais razões que haja para repudiar a atitude dos extremistas como o Hamas, é necessário compreender que o Hamas é uma criação e uma consequencia da ocupação sistemática e roubo de terras aos palestinianos pelos israelitas. Estavam estes ultimos á espera que quem já lá estava cedesse território sem dar luta? Seria a mesma coisa que chegarem cá os espanhois e começarem a empurrar-nos em direcção ao mar.
Todo o terrorismo e extremismo muçulmano que existe no oriente neste momento está intimamente ligado á forma como israel tem chegado, ocupado, empurrado e segregado os muçulmanos que viviam na palestina.
O conflito é complicado, tem milénios na sua génese e é um facto que as duas populações nunca se deram bem.No entanto a razão está do lado dos palestinianos que desde que israel decretou o seu estado têm sido espoliados e empurrados para fora das suas terras mais do que é razoavel.Sem dinheiro para adquirir o poderio militar para travarem essa situação jogam com a única arma que têm : o ódio, o desespero e o terrorismo.
Enquanto israel não reconhecer o estado palestiniano e não se sentar á mesa para discutir a devolução de terras, nunca será um país em paz. A não ser que extermine os palestinianos. Mas aí é bom que anuncie ao mundo ao que vem e se deixe de esconder atrás de retórica hipócrita e mentirosa da auto defesa.

Preste João disse...



A política criminosa, belicista e racista de Israel é o melhor combustível para a perpetuação da violência.


As crianças violentadas de hoje serão os guerrilheiros de amanhã.


Israel já não tem aviões em Telavive, um dia não terá barcos em Haifa, nem jipes nos colonatos.


É tudo uma questão de décadas, até se fechar essa chaga mundial aberta em 1948.

Luis Alves Ferreira disse...

Ó caro Preste João, quando fala de "política criminosa, belicista e racista" é bom saber que estes são alguns dos atributos clássicos e universais do islamofascismo. E é por essa característica ser cada vez mais notória que "a rua do Ocidente" já se está nas tintas para o choradinho autofágico e sangrento do Hammas. Pena os inocentes que são triturados pela cimitarra assassina do expansionismo árabe.

Anónimo disse...

http://www.publico.pt/mundo/noticia/hamas-e-fatah-anunciam-acordo-de-reconciliacao-1633318

A verdadeira causa para o actual conflito. "A união faz a força!" Um estado palestiniano mais forte!!!!
O assassinato, o sacrificar dos três jovens isrealitas foi pretexto para incendiar a Opinião Pública Mundial contra quem? Quem terão sido os verdadeiros criminosos? Até podem estar bem longe das fronteiras em lítigio.
"As pessoas podem ficar chocados ao perceber que esse era um dos métodos favoritos de Hitler para recrutar lealdade das pessoas. É por isso que os nazistas secretamente incendiaram o Reichstag, e depois culpou os comunistas . Os Satanistas são mestres em tornar o cristianismo a culpa por tudo, desde o suicídio homossexual para as guerras mundiais." (MH-17 ??)
Não pretendo incitar nem alimentar ódios. Só a paz me interessa. Onde estão os governos árabes? Subservientes a quem? Um poder invisivel, mas que existe. "O Mundo está perigoso" Artº de Ferreira Fernandes, DN 21 Julho 2014.

Preste João disse...


Luís Alves Fereira, apenas uma nota:

quando fala dos "atributos clássicos e universais do islamo-fascismo" (?!), fica simplesmente a falar consigo próprio, não está a debater com mais ninguém.

Quando reconhecer isto, poderá conversar seriamente sobre este tema.

Cumprimentos.

Luis Alves Ferreira disse...

@ Preste João
Desisto. Daqui a alguns anos vai perceber. Ou não...

Preste João disse...



Já "percebi", não se apoquente.


E bastaram-me dois comentários seus.