terça-feira, junho 09, 2015

Sócrates: "Há sempre uma escolha. A minha é esta: digo não"


José Sócrates explica, numa declaração divulgada em exclusivo no Jornal da Noite da SIC, como "nunca, em consciência", poderá dar o seu consentimento à proposta do Ministério Público para ficar em prisão domiciliária com pulseira electrónica:

    DECLARAÇÃO


    «A minha prisão constituiu uma enorme e cruel injustiça. Seis meses sem acusação. Seis meses sem acesso aos autos. Seis meses de um furiosa campanha mediática de denegrimento e de difamação, permitida, se não dirigida, pelo Ministério Público. Seis meses de imputações falsas, absurdas e, pior – infundamentadas, o que significa que o Ministério Público não as poderia nem deveria fazer, por não estarem sustentadas nem em indícios, nem em factos, nem em provas. Seis meses, enfim, de arbítrio e de abuso.

    Aqui chegados, que cada um assuma as suas responsabilidades. A minha prisão foi uma violência exercida injustamente contra mim, mas foi-o de forma unilateral – foi-me imposta. Esse acto contou sempre com o meu protesto e o meu repúdio; nunca com o meu silêncio e muito menos com o meu assentimento. Agora, o Ministério Público propõe prisão domiciliária com vigilância electrónica, que continua a ser prisão, só que necessita do meu acordo. Nunca, em consciência, poderia dá-lo.

    Por outro lado, não posso ignorar – nem pactuar – com aquilo que, hoje, para mim, está diante dos olhos: a prisão preventiva usada para investigar, para despersonalizar, para quebrar, para calar, para obter sabe-se lá que “confissões”. Também não ignoro – nem pactuo – com a utilização da prisão domiciliária com vigilância electrónica como instrumento de suavização, destinado a corrigir erros de forma a parecer que nunca se cometeram. Estas “meias-libertações” não têm outro objetivo que não seja disfarçar o erro original e o sucessivo falhanço: depois de seis meses de prisão, nem factos, nem provas, nem acusação.

    Meditei longamente nesta decisão, no que ela significa de sacrifício pessoal e, principalmente, no sacrifício que representa para a minha família e para os meus amigos, que têm suportado esta inacreditável situação com uma extraordinária coragem. Todavia, o critério de decisão é simples – ela tem que estar de acordo com o respeito que devo a mim próprio e com o respeito que devo aos cargos públicos que exerci. Nas situações mais difíceis há sempre uma escolha. A minha é esta: digo não.»

18 comentários :

Rosa disse...



Atitude muito digna!!

Anónimo disse...

Homem de grande coragem e dignidade. Nasceu no país errado. Um pobre país sem justice nem decência.

Anónimo disse...

A corporação da justiça faz o que quer.
Resta aos homens dignos - RESISTIR

Homens, não ratos, disse...




José Sócrates, POR TODOS NÓS, dá uma valente bofetada na hipocrisia, uma estocada na cobardia e um coice na pulhice da maioria dos portugueses. E olhem que não é só o vergonhoso "sistema judissial", nem os insalubres "mérdia" portugueses que vão ter de enfiar bem fundo esta carapuça!


Como eu sempre previ, O TIRO VAI-LHES SAÍR PELA CLOACA. E já não falta tudo...

Anónimo disse...

Que lição de dignidade! Mas eles n entendem, porque n sabem o que é isso!Cabrões!

Anónimo disse...

Grande Homem! Apesar deste processo kafkiano que enfrenta continua a lutar com toda a dignidade e muita coragem contra a injustiça e complot que a direita mais criminosa lhe armou! Espero que um dia a verdade venha à tona e se faça a verdadeira justiça! M.

A. Cabral disse...

Ainda espero que este homem consiga fazer justiça neste triste Portugal dominado por homens que querem a todo o custo voltar a julgar com a inquisição.
Força amigo Sócrates resiste mais um pouco que um dia ainda os vamos apanhar a todos e limpar de vez o lixo que ainda quer calar a verdade.

Justus disse...



Agora é ver os andrés macedos e os carlos jalalis à nora, no fórum TSF, sem saber como tapar o SOl com a peneira.


Grande Sócrates!


Mesmo preso e amordaçado ainda chegas e sobras para a canalha toda junta...

Anónimo disse...

O Costa assobia para o lado. Até quando, Costa!

Anónimo disse...

A uma prisão politica só se deve responder com uma posição politica.

SÓCRATES QUE GRANDE ATITUIDE. QUE GRANDE CORAGEM COM MUITA DETERMINAÇÃO E CONVIÇÃO POLITICA, PRÓPRIA DE UM GRANDE LIDER AO NIVEL DE UM MANDELA OU ALVARO CUNHAL.

Só amanhã é que muitos vão perceber, o que a direita no poder, aliada aos discípulos dos magistrados dos Tribunais Plenários, pretendem atingir com esta prisão e este processo, mas amanhã é longe demais

Anónimo disse...

Dignidade? O problema do senhor que está preventivamente preso, é outro: Ainda ninguém lhe explicou com profundidade, que já não é primeiro-ministro!!!

Anónimo disse...

Como eu gosto destes comentadeiros que não dizem nada mas armam ao pingarelho, deixando insinuações, baseadas em nada, a pairar. Muitas horas de leitura Correio da Manha e Cª.

Fernando Romano disse...

Se eu fosse José Sócrates.... Ai se eu fosse José Sócrates!

Mas se eu fosse José Sócrates - mera suposição, já se vê -, lançaria o maior dos desassossegos na vida política portuguesa, quer à direita quer à esquerda. Poria em pânico a direita ranhosa e reacionária e obrigava o oportunismo que campeia à esquerda a desmascarar-se em todo o seu esplendor.

Que faria então se eu fosse José Sócrates?

No dia imediatamente a seguir às próximas eleições legislativas anunciava aos portugues a minha candidatura a Presidente da República Portuguesa. Nem o PS me segurava.

Com um núcleo social de apoio entre 27/30%, assistiríamos, enfim, ao mais desejado (e necessário) debate em Portugal. As surpresas eram aos milhares e o nosso País sairia mais purificado.



Anónimo disse...

Força Sócrates!!!

Manuel Pacheco disse...

Desde há muito disse a amigos meus que se um dia o Ministério Público propusesse a prisão domiciliária com “pulseira” electrónica – não sei quem inventou o nome, por que uma pulseira é para colocar no pulso e não no tornozelo – que José Sócrates não ia aceitar. Quando as pessoas se sentem inocentes abdicam destas ofertas, assim aconteceu com Carlos Cruz, que não assume o crime e assim não pode beneficiar de saídas precárias prolongadas. São homens assim que podem inverter a justiça. E da maneira que ela caminha ainda bem que é combatida. Portanto daqui envio o meu mais sincero respeito pela tomada de posição de José Sócrates. Que nunca obedeça a quem se julga dono disto tudo.

Carlos Martins, Neca disse...

Boa ideia Fernando Romano; Pode ser que forte presidente faça fraca gente forte, pois, o que tivemos até aqui foi o contrário. É preciso alguém que vire isto para o lado certo e só vejo um homem capaz; José Sócrates!

Há alguém com maiores tomates? Quero para meu presidente um Homem com H grande e com eles no sítio. Quem tentasse enganar os portugueses ia logo de patins e estes gajos que lá estão, logo após a primeira mentira já eram!

Força, apoio incondicionalmente uma candidatura de Sócrates para presidente, já, não para daqui a 4 ou 8 anos não, Já!

Zé de Faro disse...

Um abraço incondicional a José Sócrates é um abraço à dignidade, à honra, à lucidez,à coragem, ao patriotismo.Este homem,ainda que preso, está a segurar o país.O meu abraço incondicional a este grande homem.

Vaz de Camões disse...



GRANDE SÓCRATES!


NO DIA DE PORTUGAL TODO O PAÍS FALOU DELE!!