segunda-feira, setembro 28, 2015

Como tornar útil o voto inútil

Distribuição de deputados de acordo com o barómetro da Eurosondagem
(in última edição do Expresso)

António Costa apresenta-se às eleições com um programa que se pode sintetizar em poucas palavras: fazer crescer a economia para estimular o emprego e proteger o Estado Social, designadamente impedindo a concretização do corte nas pensões. Mas António Costa faz questão de assumir que tem um plano B: ao mesmo tempo que se dispõe a procurar cumprir as regras em vigor na zona euro, o PS empenhar-se-á para modificar essas mesmas regras.

Neste quadro, eu não quereria estar na pele daqueles eleitores que, tendo vontade de apear o governo de Passos & Portas, se mostram indecisos em entregar o seu voto ao PS, único partido que está em condições de afastar do poder a direita mais radical desde o 25 de Abril.

No entanto, na maioria dos distritos e das regiões autónomas, os eleitores debatem-se com um problema que ultrapassa a questão do voto útil. Com efeito, relembrando o passado e observando as previsões disponíveis, há muitos círculos eleitorais em que os partidos de esquerda, salvo o PS, não têm elegido nem têm qualquer possibilidade de vir a eleger deputados: nestes casos, os votos no PCP, no BE, no Livre, etc. são votos desperdiçados, porque não concorrem para a eleição de deputados destes partidos de esquerda e retiram ao PS a hipótese de eleger mais deputados, que assim vão direitinhos para a coligação de direita.

De Bragança a Portalegre, passando pelas regiões autónomas e pela emigração, são muitos os círculos em que os votos nos pequenos partidos se convertem em votos inúteis (para a esquerda). Havendo tantos apelos à aproximação entre os partidos da esquerda, não seria o momento certo para que esses pequenos partidos, designadamente o BE e o Livre, convidassem os seus eleitores nos distritos em que não têm hipótese de eleger deputados a concentrar os votos no PS para barrar o caminho à direita?

Ao assumirem um tal postura, os pequenos partidos dariam um sinal inequívoco de que haveria uma vontade genuína de convergência. E seria a única forma de transformar um voto inútil num voto útil.

24 comentários :

Fernando Romano disse...

Cabe também às distritais, concelhias e secções do PS dos respetivos círculos referenciados no post virem para a rua (nas paragens de autocarro e de comboio, nos cafés, nas aldeias)com comunicados a mobilizarem o eleitorado para a batalha que se está a travar contra a mentira e a demagogia, contra oligarcas e seus lacaios, contra os salazaristas mascarados, contra a pior canalha que a democracia conheceu. E invoquem o que é tratado neste post! A imprensa (TODA!) está por eles.

A batalha pode ser ganha nestes últimos dias se se dispuserem a levantar o cu de frente das televisões.

Mexam-se! Conheço uma sede local de uma secção, de uma freguesia com 120 mil habitantes (na AM de Lisboa) que reuniu uma vez (ontem) durante o período da campanha apenas para tratar das nomeações para as mesas das assembleias de voto. A mim, simpatizante que participou nas primárias, um grupo de militantes socilistas convidou-me um dia destes apenas para petiscar e conversar.... Ralhei com eles! Ralhei com eles. Assim vão ao barda merda.


Anónimo disse...

Esse eleitorado sabe muito bem o que fazer.
O António Costa que se preocupe em segurar o eleitorado do centro. As franjas à esquerda têm inteligência suficiente para fazer o que devem e não precisam que os "lideres" desses partidos abram a boca. Aliás, vão cagar-se no que dizem os "líderes".

Anónimo disse...

É preciso difundir em massa o vídeo do Guilherme Leite. JÁ.

P. Caim e Silva

Manojas disse...

O problema é que o PCP e o BE são partidos de protesto e sabem que não podem ser mais do que isso e, assim, não os preocupa muito uma vitória da direita, pelo contrário. O que eles pretendem é conseguir mais um ou dois lugares na Assembleia da República, o que seria uma boa ajuda à sua sobrevivência. Ora isso só se consegue roubando votos ao PS. O ódio ao PS, do PCP e do BE, começa também a ser económico e não só ideológico.

Anónimo disse...

Grande lata. Quem gosta do trabalho do PCP que vote no PCP. Porque raio há-de alguém votar no PS preferindo o PCP, ou o BE ou o Livre? O PS já mostrou à saciedade a inutilidade que é uma pessoa de esquerda entregar-lhe um voto. É entregá-lo à Merkel, à Comissão Europeia, ao Junker. O PS aceitou todas as políticas fundamentais vindas da direita europeia que manda na UE, é bom não esquecer.

João.

Anónimo disse...

O João das 03:10:00 não leve a mal mas: cresce e aparece!

Maria

Anónimo disse...

Dizem que PCP ou BE são lirismo… Então e o PS? “Fazer crescer a economia para estimular o emprego e proteger o Estado Social”? Como se o economista Ricardo Paes Mamede comprova que as variáveis do cenário económico do PS (e o do PSD também) nunca se conjugara, nem uma vez na história porque são incompatíveis? E até hoje ninguém conseguiu que a Alemanha mudasse de posição mas AC vai conseguir? E proteger o estado social reduzindo a TSU (mesmo que temporariamente) para descontar nas reformas futuras ou seja cortar no trabalho e perdoar o capital? Tanto lirismo… Falam da esquerda mas as governações do PS tem um historial de medidas de direita assombroso. Eu prefiro o PS ao PSD sem duvidas mas as diferenças não são entre esquerda e direita mas sim entre centro encostado à direita e a direita. Mas eu quero esquerda, não quero centro encostado à direita.

Anónimo disse...

A maioria das pessoas que votam PCP e BE querem politicas de esquerda , mas NÃO querem sair do euro. Por isso mesmo não perceberam ainda que andam a votar nos partidos errados.

Anónimo disse...

Deviam ter pensado nisso antes.

Manojas disse...

Comunistas e bloquistas se só pensando pela vossa cabeça não chegam lá, leiam a declaração de Helena Pato, ela explica-lhes porque vota agora no PS, sendo comunista e não deixando de o ser.

Manojas disse...

Todos os concidadãos portugueses, dignos desse nome, sabem que, presentemente, só o PS está em condições de desalojar do poder esta gente que, em todos os sentidos, nos empobrece.

Anónimo disse...


O PS ainda não percebeu que é um partido com pouca credibilidade. BTW, who the fu*k is Helena Pato?

João.

pedro carrilho disse...

a pulhice campeia no meio destes mafiosos, o que mereciam realmente era serem julgados por alta traição à patria, como esse desiderato não é possível neste país de hipócritas e do faz de conta para inglês ver, então o mínimo que cada português que ame o seu país deve fazer é votar contra esta canalha que nos está a destruir, é o dever de cada um de nós não deixar cair o país no abismo das vendas do património do estado, na privatização de tudo quanto dê lucro, da guerra civil que fomentam em nós, tenham coragem porque esta brava Nação de quase mil anos de história merece que demos tudo por ela, vamos correr com os ladrões que estão no poder!!!

Anónimo disse...

http://jumento.blogspot.pt/

Sondagem da Intercampus totaliza 111,9% de intenções de voto !!!!
Tenho a impressão que depois da manipulação virá a chapelada !

Anónimo disse...

Ligação para o vídeo do Guilherme Leite.

Partilhar, partilhar, partilhar...

http://videos.sapo.pt/TjenRp8mculJVKTIFCrg

Magus Silva disse...

Aqui foram ditas coisas que todos sabemos, mesmo coisas que devem ser ditas e repetidas. As doutrinas já foram impingidas, o suficiente para não mudarem de opinião.
Sem solução viável,os partidos da extrema esquerda preocupam-se com o protesto e com a ladainha de sair do euro, sem apresentar soluções.
Também votei sempre mais à esquerda, sem verdadeiramente me identificar com nenhum partido.
O PS também não repres3enta a minha escolha. Talvez eu seja demasiado exigente. Porém, desde o ataque serrado que foi feito a Sócrates, igualmente por esquerda e direita, passei a votar no PS.Contra esta escória que assacou o governo eu votaria em qualquer coisa. Mas como estou interessado numa real alternativa, não tenho outra escolha. Para as legislativas, nunca mais votarei no PCP., porque este partido, sabia, quando deu a sua mansinha para o derrube de Sócrates, que a direita iria espatifar Portugal. No tempo de Álvaro Cunhal os comunistas foram capazes de engolir um sapo para barrar a direita. Este PCP. vive obcecado com a contestação e não vê mais nada à frente dos olhos.De tão coerente com a sua propagada vai acabar no caixote do lixo quando como eu muita gente se cansar de votar num partido apenas para ser do contra sem fim e sem lógica.

Rui Pedro Lérias disse...

Achei muito interessante o mapa que partilhou e peguei nele e fiz umas contas sobre o que seria a composição do próximo parlamento de acordo com este cenário. Convido-vos a consultarem esta minha análise aqui:

http://lojadehistorianatural.blogspot.pt/2015/09/sobre-as-legislativas-2015-um.html

Anónimo disse...

Ouçam também o Carlos do Carmo, comunista dos 4 costados, que esteve ontem no programa"Fora da Caixa" da Alberta Marques Fernandes na RTP2, a explicar muito claramente porque vai votar Costa. Não apoia o PS mas , conhecendo bem António Costa confia nele para mudar o país. Neste momento, é preecisamente o que eu penso. Não voto pelo PS. Voto pelo António Costa. Estou farta de muita gentinha dentro do PS que é tão bera ou pior que certa gentinha do PSD.

Anónimo disse...

Ouçam mas é o Costa e o PS É um político e um partido do arco do tratado orçamental, ou seja, da ideologia da austeridade como política de crescimento. Socialismo para a banca e grande capital, capitalismo para o povo e o pequeno/médio capital. Isto é o PS, o PSD, o CDS e o directório germanizado da UE.

João.

Anónimo disse...

Vê-se que o leitor João é do contra só porque sim. Não sabe quem é Helena Pato. Não conhece a história da esquerda radical em que vota. Vota não por convicção mas porque sim. Se calhar lá na rua é tudo do PCP ou do BE e o João não lhes quer ficar atrás.
Não sabe quem é Helena Pato. Feliz na sua ignorancia, nem percebe o quão superficial é o seu conhecimento da esquerda em que vota ...

Júlio de Matos disse...



O JOÃOZINHO PONTINHO É UM TONTINHO E FIM DE PAPO sobre ele (tão pequenino).


Este assunto é vital para a Esquerda. A Esquerda tem mais gente pensante que a Direita, que geralmente só "pensa" com a carteira, daí a importância de discutir serenamente este assunto.


Agora é demasiado tarde para a liderança do Livre fazer o que quer que seja (da do BE e, sobretudo, da do PCP já não se espera nada...).


Mas teria sido uma opção GENIAL de Rui Tavares e da Ana Drago, DO, etc. retirarem a sua candidatura nos Distritos em que as únicas hipóteses que têm é... aumentar as hipóteses de aumentar o número de Deputados da Pàf. Com isto DARIAM O EXEMPLO e passariam DAS PALAVRAS À AÇÃO (isto faz-me lembrar o tal Agir, mas com essa treta nem vale a pena gastar caracteres...).


Gente como eu, como o manojas e o Magus Silva, que somos milhares em Lisboa, Porto e Coimbra, certamente que não ficaríamos indiferentes a um gesto dessa grandez e com esse significado político!


Mais, muitos de nós, reconhecidos, se calhar votaríamos CONVICTAMENTE no Livre em Lisboa e nos maiores Distritos, para assim compensar este Partido pelo seu gesto ALTRUÍSTA EM PROL DO PAÍS E DA PERSPETIVA DE ESUQERDA!


É pena, Ana Drago. Gostava muito de poder contribuir para a tua Eleição, a sério! Admiro-te, fiz campanha ao teu lado nas últimas Autárquicas em Lisboa, votei em ti para a Assembleia Municipal e até acredito (serei lírico...) que o Livre, ao contrário do BE e da CDU, não juntaria NUNCA os seus votos à Direita para derrubar um Governo do PS!


Mas agora, perdoa-me, mas vou votar outra vez em ANTÓNIO COSTA e no PS. Tenho dois Filhos e com o Futuro deles não se brinca.


Percebes? Boa sorte...

Anónimo disse...

Julio, grande idiota,

O PS assinou o tratado orçamental, assinou a ideologia da austeridade como modelo económico. Como é evidente, não há diferença significativa entre o PSD e o PS e é por isso que não será de admirar se o PS perder de facto as eleições. É a mesma coisa ganhar um ou outro. Menos para os tachistas.

Quanto à Helena Pato, até parece que a escolha política há-de depender de se conhecer todo e qualquer militante do partido em que se vota e não do programa do partido para o país.

João.

Júlio de Matos disse...



joãozinho pontinho, meu palerma inútil,

mete os teus pobres "argumentos" no espaço que te sobra dentro da cachimónia e vai chamar idiota ao taberneiro que te dá o bagacinho matinal, alimária.


Enxerga-te, nulidade. E compra muito alka-seltzer para comemorares o próximo 5 de Outubro, badameco ocioso

Anónimo disse...


O Julio está agitadito. Quando o PS fazia PPP ruinosas e entregava grandes fatias do dinheiro do povo aos empresários amigos estavas tranquilo. Mas não te preocupes que ganhando o PSD é a mesma merd@ que ganhando o PS - menos os tachos de que se calhar estavas à espera.

Quando Soares referendou as preferências dos militantes do PS em 1983 estes preferiram o PSD. Portanto sabemos bem quem é que dizendo-se de centro-esquerda tem andado a servir de porteiro às políticas de direita em Portugal. É o PS.

João.