domingo, setembro 13, 2015

Silva Pereira responde a Eduardo Catroga:
a carta "está cheia de falsidades históricas"


Eduardo Catroga não tem respeito por si próprio. Para justificar a sinecura na EDP, dispõe-se a representar os mais lamentáveis papéis. Ontem, publicou uma carta atabalhoada, na qual procura alijar as responsabilidades de Passos Coelho na entrada da troika em 2011. Pedro Silva Pereira responde-lhe através de outra carta, na qual desmonta as «falsidades históricas» escritas pelo vizinho de Cavaco Silva na Quinta da Coelha. Se Catroga ainda tiver um pingo de vergonha, nunca mais volta a abrir a boca.

7 comentários :

Anónimo disse...

Este Catroga é o dos pentelhos?

Ângelo Pereira disse...

Bravo Pedro Silva Pereira.
Quando a memória e a vergonha são curtas nada melhor que um banho de factos. Foi dia de barrela para o proletário do pc chinês.

Anónimo disse...

Mais um bandido encartado, um vendilhão cheio de lábia, armado em Professor da mula russa, bem ancorado na corja nacional e internacional. Não há quem investigue os negócios deste porco imoral?

Anónimo disse...

Historiadores e jornalistas precisam-se. E o PS tem andado a dormir.
Era bom que O PS relembrasse (com cronologia) os terríveis acontecimentos, momentos decisivos, factos absolutamente veridicos e confirmados por fontes oficiais ou fidedignas, passados na conjuntura da crise das dividas sobranas em Portugal e nos paises periféricos do euro. No nosso caso, os factos e as manobras factuais na politica, com os actores concretos, os bois com os nomes, quem defendeu o quê e como actuou, a começar pelo governo da altura, nas semanas antes da inviabilização do PEC IV, da preparação e na negociação deste na UE, até aos compromissos obtidos por Socrates de uma votação a favor do PSD, pela boca de Passos, e após 3 horas de reunião em S. Bento. E a visita de Marco António, a posição e a intriga de Cavaco, as manobras dos banqueiros e da media, a posição convergente do PC e do BE, as contradições ideológicas e de poderes no seio do governo com T.Santos, etc etc, até à demissão do Governo e reconhecimento da inevitabilidade politica da chamada da troika. E depois dessa grande alegria da extrema direita, as manobras dos presentes e ausentes nas reuniões de negociação entre o Governo e a Troika, as histórias do que se passava nas negociações, com os representantes e infiltrados do PSD na sala, as sacanissese as as fugas de informação da cochonne Luis Albuquerque então no IGCP, do Gaspar(primo do primo), Do cCatroga e do Borges, etc etc, todo um filme de horror para drenar o sangue a um pobre povo. Um filme que em quatro anos e meio já deveria ter sido rodado e apresentado. Sera que o DINIZ vai ficar só? Sera que o actual PS considera os factos segredo de estado?

Anónimo disse...

Parabéns ao autor do comentário. Está aqui um bom guião para um filme.

Anónimo disse...

Pois, o cinema portugues parece estar a sair da estagnação.
Mais um capitulo para as Mil e uma Noites, alias seria o filme fundador da saga que já vai com 3 capitulos.
Só o Probessor Catroga (latifundiário ribatejano manhoso, grande líder do Silicon Valley à portuguesa, a SAPEC dos franceses a chupar no imobiliario do porto de Setúbal, ideólogo da juventude tó-to da gamela, grande timoneiro do monopólio EDP e dos chinocas da letricidade, recebedor e pagador partidário alinhador da extrema direita, bichanador de negociatas) dava cá um personagem de truz. Sintetizava o velho-novo portugal proto-fascisto-liberal, do pentelho, do toiro bravo, do selim e da mulher). Só a filha do GNR, frau da coxa boa, e o seu mentor Gaspar e o patrao paralitico, com caramba, um personagem à frente, era demais. Relbas a ser doturado, Marco António a liquidar a sigurança social. Empeendorismo a rodos,formação profissional para a questura na Corraleira e na Pedreira dos Hungaros, aulas de sigurança nos aerodromos de bairro, venda de serbiços de informação de estado em pacote e ao guinchet,venda de bistos gold por atacado ... Um fartar.

Tanto Mar disse...

Este quando ainda jovem(agora nem pra isso presta) ,para dar uma queca ,até os pentelhos atrapalhavam...