quarta-feira, dezembro 17, 2008

Manuel Alegre e o Banco Privado Português [2]


Clicar para ler o panegírico ao BPP [Agência BBDO]



Quem diria que o insuspeito homem de esquerda — da verdadeira, a da Bayer —, sempre pronto a atacar qualquer suposto desvio à linha justa e a fazer uma ampla coligação com os órfãos de Trotsky, Brejnev e Enver Hoxha, seria capaz de acreditar no capital financeiro? Ai o maroto, ainda por cima precisamente em relação ao “banco das grandes fortunas”?

Pois é, de Manuel Alegre seria de esperar tudo — menos isto. Cantar Che Guevara em poesia, desancar o PS, caçar perdizes ou coelhos em ambiente bucólico, declamar com voz grave Os Lusíadas, etc., etc., etc., é habitual e ninguém se surpreende. Mas, no meio de tudo isto, Manuel Alegre ainda ter tempo para nos alertar para os perigos de salvar bancos, quando por “um par de Purdeys” (as Roll-Royce das espingardas) andou a cantar loas ao banco de João Rendeiro, mostra um amor desmesurado pela caça — e uma profunda convicção de que em política não há memória.

29 comentários :

Anónimo disse...

Ainda tou de boca aberta !

Anónimo disse...

Este "argumento" só peca por vir de quem vem...

MFerrer disse...

Por que carga de água o valor dos argumentos deve passar no crivo fino da importância de quem os profere?
Jesus Cristo ainda estaria vivo e de saúde!
Uma bela oportunidade para este anónimo ficar também mudo.
MFerrer

António P. disse...

Oiu ! Não seja mau para o Alewgre caro Miguel Abrantes, o homem afinbal tem de viver de alguma coisa.
Cumprimentos

A. Moura Pinto disse...

Muito bem apanhado.

Eu tinha começado a comentar aqui este tipo de pub do BPP mas pegando no texto assinado por Cutileiro...encontrado por mero acaso.

http://azereiro.blogspot.com/2008/12/bpp-tudo-seria-uma-questo-de-f-de.html

E com quem houve um problema ligado a esta pub do BPP cujo autor do texto era remunerado para o efeito porque, dado o seu estatuto, não podia auferir tal remuneração?
Que houve, houve. Mas não garanto que tenha sido com Alegre.

MFerrer disse...

Gostava era de ver a cara de super esquerda indefectível e defensor do fracos e dos oprimidos do seu Louçã..
E a cara de gozo do Jerónimo depois desta ?
Lá foi a plataforma de esquerdalhos pro brejo...
MFerrer

oliveira disse...

O alegre não é o Chico da cuf muito menos o Manuel serra . O PS precisa do poeta, como o poeta do PS. O primeiro para alimentar as hostes mais há esquerda 18% nas presidenciais e o segundo para alimentar o estômago porque isto de graveto anda mal muito mal e o alegre sabe-a toda.
Ele anda com um cavaco atravessado na garganta e mais vale começar já, não vá o filho do marocas adiantar-se.

Carlos Nunes disse...

Alegre é tão vaidoso que até irrita .....

aviador disse...

Muito bem apanhado Miguel.
Parabéns.

Esse homem é um autentico bluff.

Não é gelatina, é um autentico "souflé"!

Sousa disse...

Alegre foi pago para cativar clientes para o Banco Privado Português. Por muito má que tenha sido a gestão do BPP, acredito que valeu a pena investir no Manuel Alegre e que ele conseguiu alguns novos clientes e novos depósitos.

Agora Alegre ataca a protecção dos depositantes? Não quer que os depositantes sejam protegidos?

Anónimo disse...

O Manuel Alegre não é/era deputado em exclusividade de funções ?

MFerrer disse...

Palavra que gostava de saber quanto recebeu do BPP e quanto declarou para imppostos...
Foi a recibo verde com retenção na fonte?
É que os outros portugueses que ele diz representar pagam tudo com língua de palmo...
Ou terão sido "direitos de autor" que estão livres de impostos?
A uns o trabalho chama-se deveres de trabalhador, horário e produtividade. A outros, é direitos de autor.
O Manuel Akegre tem muita razão: Ainda falta mudar muita coisa!
MFerrer

Elisiário Figueiredo disse...

Manuel Alegre efectuou esta publicidade para o BPP assim como demais figuras do nosso panorama artístico, cultural e politico.

Manuel Alegre foi pago para este serviço quando o BPP era um insuspeito Banco, quando a maioria dos analistas pedia menos estado e menos regulação, quando as teorias neoliberais da 3ª via eram dominantes no PS de Sócrates.

O que incomoda as hostes socialistas não é o Manuel Alegre ter colaborado nesta campanha publicitária, o que verdadeiramente incomoda é o que pode acontecer ao PS se Manuel Alegre partir para a unificação das esquerdas com um partido politico ou uma coligação de partidos políticos.

O mau estar no seio dos Históricos do partido em relação às politicas de Sócrates é notório, no entanto fala-se em voz baixa, António Arnaut, este militante pai do SNS que Sócrates assassinou, diz numa entrevista ao DN o seguinte:

"Sinto-me na extrema esquerda do PS, isto é se ainda lá tiver lugar, e o mais engraçado é que não fui eu que mudei."

António Arnaut sempre foi um moderado, ele ainda, com alguma ressalva, encontra-se dentro do PS, Manuel Alegre também ainda lá está, Manuel Alegre tem esperança que Sócrates mude de direcção.

Outros nomes têm grande preocupação com o que se passa dentro do partido e com as politicas do governo podemos nomear alguns dos históricos do PS, Mário Soares (ver ultimo artigo no DN), José Neves, João Soares, Jorge Sampaio, Edmundo Pedro, Carolina Tito de Morais, aliás aqui podemos incluir a totalidade da família Tito de Morais, isto para falar nos mais conhecidos.

A. Moura Pinto disse...

Comentar comentários deveria ser coisa a evitar, mas comento o que deixou Elisiário Figueiredo, com notas intercaladas:

"Manuel Alegre efectuou esta publicidade para o BPP assim como demais figuras do nosso panorama artístico, cultural e político."

Nota
E o eventual pecadilho de outros desculpa Alegre? Os outros não aparecem agora a subscrever o que diz Alegre do BPP, por muita razão que possa ter. Talvez por coerência.

"Manuel Alegre foi pago para este serviço quando o BPP era um insuspeito Banco, quando a maioria dos analistas pedia menos estado e menos regulação, quando as teorias neoliberais da 3ª via eram dominantes no PS de Sócrates."

Nota
Mas era que tipo de banco? Não era já o banco das grandes fortunas, como agora diz Alegre? E vamos agora culpar os analistas e a 3ª via do passo em falso de Alegre? Ou desculpar Alegre por não se ter informado da natureza do BPP?

"O que incomoda as hostes socialistas não é o Manuel Alegre ter colaborado nesta campanha publicitária, o que verdadeiramente incomoda é o que pode acontecer ao PS se Manuel Alegre partir para a unificação das esquerdas com um partido político ou uma coligação de partidos políticos."

Nota
Neste caso concreto – publicidade ao BPP, colaboração interessada, porque paga, com o banco das grandes fortunas – o incomodado é (ou deveria ser) Alegre.

"O mau estar no seio dos Históricos do partido em relação às politicas de Sócrates é notório, no entanto fala-se em voz baixa, António Arnaut, este militante pai do SNS que Sócrates assassinou, diz numa entrevista ao DN o seguinte:

"Sinto-me na extrema esquerda do PS, isto é se ainda lá tiver lugar, e o mais engraçado é que não fui eu que mudei."

António Arnaut sempre foi um moderado, ele ainda, com alguma ressalva, encontra-se dentro do PS, Manuel Alegre também ainda lá está, Manuel Alegre tem esperança que Sócrates mude de direcção.
Outros nomes têm grande preocupação com o que se passa dentro do partido e com as politicas do governo podemos nomear alguns dos históricos do PS, Mário Soares (ver ultimo artigo no DN), José Neves, João Soares, Jorge Sampaio, Edmundo Pedro, Carolina Tito de Morais, aliás aqui podemos incluir a totalidade da família Tito de Morais, isto para falar nos mais conhecidos."
Nota
As divergências são salutares. Por si, não são problema.Mas, de novo, o que aqui está em causa é um acto de Alegre. Sabemos a que se destina a publicidade institucional. No caso, Alegre aceitou ser pago para dar credibilidade ao que agora diz ser – e foi-o desde sempre, não apenas quando bateu com os burrinhos na água – o banco das grandes fortunas. E mais: leia-se o texto com atenção. Um deputado que aufere ordenado que – diz - é uma pelintrice, não dando para os charutos do outro (deve referir-se a uma boca do ex-ministro dos NE, André G Pereira -), que se lamenta de não ter o suficiente para comprar um par de Purdeys… e tudo o mais. E é Alegre, com este perfil, com estas ambições pessoais – que não questiono - , que agora se vem queixar dos coitadinhos, limitados a uma fisga para a caça de pardais, a uma moeda para uma onça de tabaco ou para um copo de três. E, claro, por culpa do governo que não disponibiliza Purdeys, charutos e vinho do fino para todos. E, quando todos tivessem um par de Purdeys, o governo seria certamente culpado por não disponibilizar as peças de caça. Pois para que serviriam as Purdeys?

Anónimo disse...

Alegre não é apenas caçador. Também tem um especial gosto pela pesca. Cantar loas ao banco de João de Rendeiro não só lhe renderam um par de 'Purdeys' - mas ainda pelo menos duas Tica (o Rolls Royce das canas de pesca): uma de cinco metros para surfcasting e outra de 3,5 m para spinning. E o homem, honra lhe seja, parece que é bom pescador. Ainda o Torga estava entre nós, Alegra apareceu-lhe em casa, em Coimbra, com um valente robalo pescado na Foz do Arelho.

Teófilo M. disse...

Uma Purdey usada custa a módica quantia de 48/50 mil €, o nosso poeta queria duas, pelo vistos novas, o que eleva para mais de 300 mil € a compra.

Gostos simples, quando se sabe que um Mercedes ou um Jaguar topo de gama é mais barato.

Será a isto que ele chama o seu amor pela esquerda!

Será que é canhoto?

Anónimo disse...

A crítica violenta a Manuel Alegre neste espaço só pode ter um significado: o PS já trata o deputado como se este já não fosse do partido.

Nuno disse...

O pior mesmo é o vazio de ideias deste Sr Alegre! Fala bem e com gde eloquência agora alternativas concretas tá quieto!
Temo q com aquilo a que esta malta (Alegre, Louçã, Jerónimo) chama políticas de esquerda aconteça aos serviços públicos universais (SNS, escola pública, etc...) o que aconteceu ao BPN/BPP, a falência! Em conclusão dá-se demasiada importância a esse senhor, coisa que ele adora!

xico ribeiro disse...

O grande problema do Alegre é ter um discurso demagogico, esquerdista e populista, que é de todo contrario á sua pratica de vida. Só por isso é que critivel.

Ninguem o critica por gostar de coisas boas, criticam-no sim por demagogo.

Anónimo disse...

Há um pequeno senão: um milhão de eleitores poderá estar errado?

xico ribeiro disse...

Mas quem garante esse milhão? Isso é passado e foi para presidente, que como sabemos não governa só envia bitaites.

Agora governar é diferente e é necessario que o alegrismo diga o que vai e como fazer nas varias areas em que critica. Onde vai buscar ou tirar a nota. O orçamento não é elastico. Se fica ou sai da Europa e da Nato. Se as novas relações são com a china, cuba, zimbabué e por aí fora, incluindo o irão.

Aguardo como muitos desse milhão, quero saber o caminho que vamos trilhar, porque de blá blá estamos cheios.

Anónimo disse...

Os comentários aqui exprimidos são de socialistas?
São de apoiantes de Socrates?
De votantes do PSD convertidos ao Socretismo?
De uma coisa eu tenho a certeza não são Socialistas.
JOJORATAZANA

Anónimo disse...

Este post relata uma falsidade como se fosse uma verdade.
Ao autor do mesmo e todos os que escreveram comentários á cerca desta mentira só lhes resta pedirem desculpas e pintarem a cara de preto.
Sejam dignos em politica não vale tudo sejam homensinhos.
JOJORATAZANA

ZéBonéOaparvalhado disse...

>O dr. Anibal bate aos pontos o Alm. Tomaz - vai ficar no anedotório nacional - é bom é calado - evita o enrolar a lingua e cuspir.

Meu rico Almirante

manuel gouveia disse...

Cavaco e Manuel Alegre, farinha do mesmo saco.

catarina homem disse...

Manuel Alegre - que fez críticas violentas à intervenção do Estado no Banco Privado - recordou que, quando escreveu o texto, desconhecia que iria ser utilizado numa campanha publicitária a um banco. Pediu a suspensão da campanha e devolveu o cheque correspondente ao pagamento do texto: 1500 euros. O texto de Manuel Alegre sobre o dinheiro evocava a caça e o desejo impossível de comprar "um par de Purdeys", espingardas caríssimas praticamente inacessíveis.|

Rui Miguel Soares disse...

Cegueira.

Cego é aquele que atira pedras, com base numa acusação sabendo que a mesma não tem qualquer fundamento.

José Couto Nogueira disse...

O problema de Manuel Alegre ser Presidente é não ter nada de muito concreto naquela cabeça. O problema não é este texto que ele escreveu, por sinal um texto divertido e interessante, para um banco que na altura era um banco como qualquer outro. Ter escrito estas linhas, que em si não contêm qualquer elogio ao banco, numa campanha de alto nível, a troco de dinheiro, não se compara, nem tem nada a ver, com comprar acções que não estão no mercado e vendê-las depois com grande lucro. Isso só é possível tendo contactos previlegiados com a administração.
Não tenciono votar no Manuel Alegre nem o estou a defender, que ele não precisa, mas acho a comparação entre as duas situações completamente descabida.

Anónimo disse...

Falou-se ainda há pouco tempo da pensão que o ilustre poeta recebe da RDP onde "trabalhou" durante uns meses, há bastantes anos. Como nunca o desmentiu (julgo que até disse que sempre fez descontos para a Segurança Social), dada a sua relação conflituosa com o Dinheiro(só as espingardas lhe ficaram no goto...), provavelmente deverá recebê-la em géneros.