quinta-feira, agosto 01, 2013

O mundo é muito pequeno



Portugal não utilizou os instrumentos a que a Grécia recorreu para maquilhar as contas públicas. Mas houve quem tentasse levar o Estado português a fazê-lo.

Logo em 2005, mal o Governo de José Sócrates tomou posse, o Citigroup tentou oferecer uma “solução para melhorar o ratio dívida/PIB em cerca de 370 Milhões de euros em 2005 e 450 M de euros em 2006”. Essa solução passaria pela aquisição, pelo Estado português, de três contratos de swap fornecidos pelo Citigroup. O documento, entregue pelo banco ao IGCP, ao Ministério das Finanças, e ao gabinete do primeiro-ministro, explicava, no final, as vantagens: “Os Estados geralmente não providenciam [ao Eurostat] informação sobre o uso de derivados. (...) Os swap serão, efetivamente, mantidos fora do balanço”.

Sócrates recusou a proposta apresentada por Paulo Dray, director-executivo para Portugal do Citi, e por Joaquim Pais Jorge, director do Citibank Coverage Portugal.

Talvez estes dois nomes não digam muito ao leitor. Refresque-se a memória:
    • Paulo Dray é o responsável da consultora Stormharbour, que foi agora contratada por Maria Luís Albuquerque para analisar… os contratos de swap das empresas públicas;
    Joaquim Pais Jorge, depois de ter sido convidado pelo actual governo para dirigir a Parpública, empresa que gere as participações do Estado, com um papel fundamental nas privatizações em curso (na da EGREP, o Citigroup é escolhido para prestar assessoria financeira), foi nomeado secretário de Estado do Tesouro, ocupando o cargo de Maria Luís Albuquerque, quando a Miss Swaps foi alçada a ministra das Finanças.

O Citigroup é uma instituição com pergaminhos na política portuguesa. Foi esta instituição financeira, era Manuela Ferreira Leite ministra das Finanças no governo Barroso/Portas, que comprou créditos fiscais (para reduzir artificialmente o défice orçamental) que os governos de Sócrates andaram a pagar durante anos, negócio (sem qualquer risco) que bem caro saiu ao Estado. Tinha então como responsável em Portugal Vítor Martins, antigo secretário de Estado de Cavaco que hoje desempenha as funções de consultor do Presidente da República. O mundo é muito pequeno.

12 comentários :

Anónimo disse...

Aposto q esta noticia não entrará em nenhum jornal televisivo...nem terá link no expresso.

Evaristo Ferreira disse...

Obrigado pela informação. Esta gente apresenta-se com uma rede de agentes, ligada aos "mercados", que nos deixa incrédulos e pasmados. Este Governo está minado por servidores dos "mercados". A pouca vergonha abunda em excesso, e o Estado foi transformado numa coutada e numa rede de interesses inimaginável para muito cidadão.

Anónimo disse...

Não será possível mandar este post ao Gomes Ferreira, Medina Carreira, enfim, á SIC. Talvez dê um bom programa .

Anónimo disse...

"O mundo é muito pequeno" e redondo,digo eu!

OLimpico disse...


Um belo dia ainda saberemos, que é... o "patrão" de Medina Carreira e Gomes Ferreira.

Ontem na SIC Noticias, bem o "tal" de Gomes Ferreira tentou levar SILVA LOPES a defender o que lhe "pediram" para defender. O velho Senhor, muito diplomaticamente foi afastando o "cálice"....

Nota: Os vendedores de SWAPS vão ser todos desmascarados!!!!CAVACO,


vai engolir a afirmação: « O Sr. Primeiro MInistro Garantiu-me com toda a certeza que MARIA LUIS ALBUQUERQUE está "impoluta".... Tal como estava Dias Loureiro!!!! é só para recordar.

Francisco Clamote disse...

De facto!

Anónimo disse...

De facto é, por isso no final do círculo os membros dos aparelhos do Bloco Central encontram-se todos em alegre confraternização...

Anónimo disse...

não foi a manuela ferreira leite que fez negocios com este grupo ?!?!?

Teófilo de Jesus Vigário disse...

Inacreditável tudo o que vem sendo demonstrado.
Quem afinal é o mandante de toda esta
corrupção desenfreada que se instalou em Portugal, a todos níveis na sociedade portuguesa, desde o 25 de Abril de 1974?
Esta horda de políticos que saquearam todos os valores da cultura portuguesa.

Anónimo disse...

A ideia de passar"sempre" a designar a Albuquerquor por "miss Swap" parece-me excelente. A pequena política também é feita de coisas destas e muitas vezes revelam-se eficazes. Vamos tentar que a moda pegue. Miss Swap a impoluta ... cuidado com a rima!

Anónimo disse...

Há muito que estou convencido que o mandante veio de Boliqueime com a mania das revisões de automóveis. Naturalmente que Boliqueime não tem qualquer culpa ném os mecânicos de automóveis.

Anónimo disse...

A actual governação, em alguns momentos, mais parece um aterro sanitário: tudo que é lixo lá vai parar!

E o povo que se aguente !
Tem que gramar o mau cheiro, a imundice de alguns lobbies e interesses, e, coitado (paciente como eles dizem)lá vai sobrevivendo esfomeado, revoltado e impotente, até ás proximas eleições....