quinta-feira, dezembro 18, 2014

Ferro Rodrigues explica a importância de manter a TAP
como empresa pública

3 comentários :

Antonio Cristovao disse...

Como é que os italianos vivem sem a Alitalia? E os Dinamarqueses, Finandeses, Noruegueses?
Que pena devemos ter dos pobres que não vêm as vantagens duma companhia de bandeira paga pelo Zé.

Anónimo disse...

1. A companhia, que é património do pais e do seu estão, não tem sido paga pelo Zé e há mais de 20 anos! Não há ajudas de Estado, Paga-se a si mesma, tendo um problema apenas de necessidade de capitais para expansão, que não conseguiu capitalizar no passado.
2.A empresa necessita de recapitalização essencialmente para investimento de expansão pois tem mercado para crescer.
Depois de uma tentativa de privatização falhada, caricatural, o Governo tenta queimar os últimos cartuxos antes de sair pela janela.
3. Há métodos técnicos para fazer privatizações de patrimónios estratégicos, acauteladas, que não passam pela privatização abrupta e selvagem, métodos que nem sequer foram estudados e tentados por este governo.
3. Há privatizações que podem ser bem conduzidas e bem feitas, transparentes e escrutinadas por todas as forças politicas, o que as legitima.
4. E há privatizações de má fé, feitas com obstinação ideológica rapinistas, abusivas e anti patrióticas, para ganhar uns dinheirecos a curto prazo, e para sacar uma comissões em offshore para os senhores que as engendram e decidem.

Anónimo disse...

Na maior parte dos países Europeus a maior transportadora aérea ou é uma empresa estatal ou é controlada pelo Estado.
Já no regime Salazarista o Estado tinha 90% do capital da empresa.