quarta-feira, fevereiro 17, 2010

De Salazar à república dos juízes procuradores

Fontes geralmente bem informadas asseguram-me que Eduardo Dâmaso dedicou a edição de hoje do Correio da Manha a discorrer sobre a “central de informação” do Governo — “A história da tal ‘central’ de propaganda do Governo pode parecer uma brincadeira, mas não é: nos últimos anos o Governo de José Sócrates usou meios públicos para fazer propaganda e campanha eleitoral.”

Ainda não li a notícia, porque não está on-line. Mas, ao que me dizem, anda tudo à volta do SIMplex e de “uma rede de blogues do Governo”, da qual é apenas citado — fatal como o destino — o CC. Parece-me coisa fraquinha para uma “central”.

Não quero alongar-me sobre uma notícia cujo teor ainda não li. Lá para o fim do dia, quando puder comprar o jornal, verei se vale a pena voltar ao assunto. Mas uma coisa é certa: o país dos Dâmasos — o do lema “A minha política é o trabalho”, o do jornalismo que não confirma o que escreve e se presta a ser porta-voz de interesses não sindicáveis, o dos métodos da António Maria Cardoso — não é o meu país.

Antes de regressar ao trabalho, aqui fica uma síntese do que li sobre o assunto na blogosfera:

8 comentários :

Porfirio Sousa disse...

Vá mas é trabalhar que não lhe estou a pagar (sim, sou contribuinte) para que ande a escrever em blogs a defender o seu chefe.

aires disse...

temos bufinhos, era expectavel...

li todos artigos aqui sugeridos...

foi uma tremenda emoção seguir a emoção de cada um, em cada um, desses artigos e autores...

é desta massa de gentes com honra que se molda o barro da nossa cidadania...

o bufinho, lá continuará coitado sua triste sina disso mesmo...

abraço a todos e a cada um que se junta a nós, na feitura ou na leitura destes blogs

é este entusiasmo na defesa das ideias que nos agregam, que intimidam estes fautores da calunia
e faz estremecer os traidoresinhos, bufinhos...

luta continua

Anónimo disse...

Senhor Miguel
O tal Dâmaso e a tal Tânia não são gente recomendável. Apesar disso, tem acesso a tudo a que ministros ou até procuradore-gerais não têm. São assim há anos e todos o sabem ainda que finjam não o saber. É evidente que se eu fosse ministro ou procurador-geral tinha medo deles. Têm as escutas e o resto em primeira mão. Isso chega para que tenham poder. Não deixa de ter piada que andem por aí a pregar moral.

Já agora... Tenho notado que a Câmara está demasiado silenciosa para o meu gosto. Também estará à espera das decisões (sejam elas quais forem) que se adivinham?

Com cumprimentos

Anónimo disse...

Boa tarde,
Depois de ter estado pacientemente a ver e a ouvir as declarações do JMF e do MC, na Comissão de Ética, na Assembleia da Republica, chego à conclusão que o PS tem deputados que não têm categoria para estarem sentados na dita cuja, pela falta de qualidade que apresentaram nas perguntas que deveriam ter feito e obrigar os senhores a responderem...
Deixaram os ditos senhores debitarem todo o seu ódio ao 1º Ministro José Sócrates, sem serem mininamente confrontados como deviam ter sidos e para gláudio de toda a oposição...
O JMF conseguiu passar incólume sobre as escutas a Belém sendo que a única pergunta a esse respeito foi feita pelo BE e mesmo assim consguiu empalhar e nada disse.
O MC disse tudo o que queria e não foi mininamente confrontado pela parte do PS, por exemplo se acha que uma história que lhe foi contada, poderia ser publicada sem contraditório...e ainda por cima fartou-se de gozar com José Socrates perante o beneplácido dos deputados do PS...Não pode ser...Os deputados do PS tinham e têm a obrigação de defender o secretário-Geral e 1º Ministro José Socrátes...Mudem-se estes deputados desta comissão de ética, senão o PS será achincalhado...
José Curto

sr. indivíduo, dr. disse...

Antes de mais, um abraço solidário e todos os SIMplex.

Já o resto faz-me lembrar um tal Dâmaso Salcede, personagem queirosiana.
Brilhantemente construída e descrita, a figura era repelente, viscosa, escorregadia, falsa, intriguista e balofa.

pardalazul disse...

O Sr Dâmaso, é o bufo dos controleiros de escândalos.O fulano, tem mesmo ar de lacaio.Ele não percebeu que este pessoal, que por aqui anda,tem "tomates" suficientemente "grandes" e,"fortes", ao contrario da cambada dos seus acólitos!Para dar conhecimento ao Sr Dâmaso: eu sou varredor da câmara de "favaios", Sr Dâmaso!
Miguel Abrantes: este é um dos blogs da liberdade,aonde gente canalha será combatida.

Anónimo disse...

Tudo pela nação nada contra a nação.Na sua campa rasa Salazar ri-se...porque a situação está quase como em 1928...

baladupovo disse...

O Povo, no seu silêncio introspectivo, bem sabe quem sempre esteve interessado em discutir construtivamente políticas para o bem de todos, e bem sabe quem, desde 2005, optou pelo ataque pessoalizado e direccionado, em vez de discutir ideias.
A Campanha Neo-Fascista promovida, (não oficialmente, claro!mas estranhamente secundada e nunca repugnada) pelo PSD, à custa dos seus 'agentes' infiltrados na Justiça e em alguma Comunicação Social criminosa, tem uma pequena «pedra de tropeço» no seu caminho: está a dar muito nas vistas! Há muito que percebemos que o Psd está por detrás disto! O Povo não precisa de alardear muito..mas estamos todos a ver muito bem o que está a fazer determinado jornalismo em conluio com alguns agentes da Justiça. E o que estão a fazer não colhe junto do povo, enganaram-se na época. E os procedimentos usados estão a causar nojo aos portugueses e a fazer lembrar outros tempos que são para não tornar.
Por incrível que pareça concordo com o que disse Francisco Louça, o único líder partidário que teve a coragem e a ombridade de repugnar o ataque ao Estado de Direito e aos Cidadãos cometido por falsos-jornalistas e falsos-agentes-da-Justiça. Disse ele: "Se a Justiça não serve à Justiça então não serve a ninguém".
Para o Ppd-Psd, facilmente apreendido como o fautor deste golpe fascista, a estória é outra: "Se a Justiça não serve ao Ppd-Psd então a Justiça não serve a ninguém".