quinta-feira, Fevereiro 28, 2013

Governo revê em baixa a bandeira nacional


Por uns motivos ou por outros, as reformas estruturais do Governo não param de nos surpreender. Imagine-se o contentamento de Aguiar Branco ao ter uma boa razão para poder reunir-se com a troika a fim de a informar de que acabou de tomar mais uma medida de modernização no Exército, comprometendo-se, assim que as condições o permitam, a aplicar a medida também à Marinha e à Força Aérea, dando então por concluída a reestruturação das Forças Armadas.

Mal tomou posse, Aguiar Branco concentrou toda a sua atenção na reformulação do Regulamento de Uniformes do Exército. Quando o Governo decidiu que era preciso cortar na despesa do Estado, o ministro da Defesa ficou paralisado, sem saber como transmitir a ordem aos generais e aos almirantes. Mas Vítor Gaspar sossegou-o. Os cortes seriam feitos no Estado Social. Ao ministro da Defesa pedia-se-lhe apenas umas poupanças. Ei-la (nos termos da Portaria n.º 88/2013, de 28 de Fevereiro):
    As dimensões do distintivo de braço “BANDEIRA NACIONAL” terão de ser 4,5 cm por 3 cm, e não 5 cm por 3 cm como até agora.

Com menos 0,5 cm de tecido por braço, é só fazer contas para avaliar o impacte desta reforma estrutural.

3 comentários :

Anónimo disse...

Lol.

Anónimo disse...

Nem imaginam o que ri... com esta notícia.

Será que podemos poupar também na dimensão da bandeira? Por mim, cortava já 10 cm. O que se poupava!!!!

Cpts

Gungunhana Meirelles disse...

Faz todo o sentido porque a correcção de 3 x 5 para 3 x 4,5 diz respeito às proporções correctas da bandeira. O seu a seu dono.