terça-feira, junho 10, 2014

Cavaco no dia da raça

Pode acontecer a qualquer um. O Presidente da República sentiu-se indisposto quando discursava nas comemorações do 10 de Junho e a cerimónia foi interrompida durante cerca de meia hora. Tal como o Porfírio diz, acho lamentáveis as paródias sobre o seu desfalecimento, assim como o uso desbragado de imagens do momento. Posto isto, umas breves notas:
    1. Após se ter recomposto, o apressado retomar da leitura do discurso, sem uma palavra para os que aguardavam o seu regresso ao púlpito, revela-nos a essência da personagem: alguém que não tem poder de encaixe e cujas decisões são fortemente condicionadas por esta falha estrutural.

    2. A selecção dos agraciados e condecorados diz muito sobre Cavaco Silva: por um lado, as preferências, as amizades, os agradecimentos pelo apoio à carreira do político há mais tempo na activo não foram, mais uma vez, esquecidos; por outro lado, a visão de que tudo o que conta no mundo da economia são os empresários e os gestores.

    3. A insistência num acordo — «o tempo de diálogo que se estende agora até à discussão do próximo Orçamento do Estado» — com uma direita que quer virar do avesso o regime democrático (e pela qual Cavaco Silva tomou partido) revela que o esgotamento do Governo é também acompanhado pelo esgotamento do Presidente da República.

    4. Fernando Lima, o assessor da inventona de Belém, esteve em lugar de destaque, mesmo atrás do Comandante Supremo das Forças Armadas, na tribuna das cerimónias militares.

    É tudo o que captei no dia raça.

24 comentários :

Anónimo disse...

Fez de conta que nada se passou tal com tem feito sempre: nada se passa à sua volta.

ignatz disse...

tá bem abelha, lamentar paródias de quem goza descaradamente com o público pagante. o gajo avacalhou a presidência da república e agora pedem ao pessoal que se contenha com as calimerizações do cromo,bahh. a sorte do bolicoiso é não haver bordalo pinheiro à altura da encenação.

José Augusto Dias disse...

Pena o desmaio não ter sido mortal.

ignatz disse...

"... o uso desbragado de imagens do momento."

é aconselhável ver e rever, para entender a gravidade do que se passou, o presidente ia desmaiando com a contestação. o apagão e a censura de imagens serve para encerrar o caso e restituir a dignidade que o palhaço nunca teve. agentes provocadores infiltrados numa cerimónia de comemoração do dia de portugal? onde é que isto já se viu? só faltou condecorar uns pides para a coisa ser perfeita.

Anónimo disse...

Temos de ter em conta que em Portugal e na Europa tem havido desde a implantação do Euro um apelo constante ao monolitismo político. Há uma grande tentação para o monopartidarismo.
Tem havido um esquecimento que a democracia política exige um sistema multipartidário.

Anónimo disse...

Eu compreendo que um artista, um cientista, um herói, recebam uma comenda de Cavaco Silva. Que António Vitorino, que não é nada disso, participe na farsa é que não compreendo.

Anónimo disse...

metam-me mas é a merda das imagens desbragadas do momento que ainda não vi nenhuma.

se o bicho não morreu, bem que nos podemos divertir sem culpa.

Anónimo disse...

O Inácio é como a jornalista da RTP que quer convercer-nos que o marido da Cavaca desmaiou por causa da contestação.

Um bom passo para acabar com a contestação que aleija meninos.

ignatz disse...

o presidente tem medo, é cobarde e desfalece quando é apanhado desprevenido. foi por isso que cancelou visita à antónio arroio, que processou o gajo que lhe mandou umas bocas em elvas e que desmaiou na posse do guterres. consultem a ficha clínica dos desmaios de sexa e vão ficar espantados com o número e circunstâncias das ocorrências.

ignatz disse...

"Um bom passo para acabar com a contestação que aleija meninos."

tás bué d'enganado, o nogueira & sus muchachos têm pacto com o crato e são aliados do regime, de vez em quando têm de fazer prova de vida para os associados e justificar o ordenado. cavaco foi apanhado desprevenido e isto não volta a acontecer, na próxima avisam com antecedência e servem-nos todas as imagens de sexa a enfrentar a contestação.

Anónimo disse...

Passos ostensivamente não cumprimentou o presidente do tribunal constitucional.

Anónimo disse...

Isso é o problema das leituras clubísticas.

Se Cavaco não tivesse desmaiado e a Comunicação social nem teria falado nos professores e em Nogueira.

Durante a maior parte do dia, tratou-se de "uns manifestantes".

Quando se trata de manifestações contra Passos e Cavaco a comunicação social dá-lhes pouco espaço e despacha-os com uma frase inócua e sem dar a palavra aos manifestantes.

HNeves disse...

Em relação ao:
"agentes provocadores infiltrados numa cerimónia de comemoração do dia de portugal?"
Passo a informar que sempre que esta (e outras) cerimónias acontecem onde esteja visível a presença do Presidente da República, estão SEMPRE agentes das forças de segurança que não são agentes provocadores mas são sim agentes que lá estão presentes para identificar ameaças, à semelhança do que acontece com todos os outros chefes de estado dos restantes países da UE e, claro, o próprio Presidente dos Estados Unidos da América.

james disse...

Boa síntese.

Miguel Abrantes disse...

Caro James, obrigado.

Miguel Abrantes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RFC disse...

Recapitulando, pois: se o PM evitou o presidente do TC isso é notícia mas não vi; se o assessor do PR ainda é o mesmo senhor de óculos, pequeno e gordinho até me pareceu que ele hoje estava fardado, que levou o amo em braços e que, depois, pediu repeito tipo MC (palmas e assobios da Fenprof).

Por aqui, estive a reler a minha caixa de entrada e, com um toque de botox para não ferir susceptibilidades (altero essa parte com um asterisco) comentava eu, há dois dias, o discurso thomaziano de Cavaco Silva na sua ida a Manteigas. Não previ a cena do desmaio mas faço-o agora porque ela é fundamental para se compreender o que pensava que se ia passar e o que afinal se passou, a saber: como a agenda política é sujeita a imponderáveis mesmo na Soeiro Pereira Gomes, o Jerónimo de Sousa surgiu entretanto a desejar as melhoras ao PR e quer eleições (e a audiência?); da fila falou o António José Seguro vá-se lá saber porquê e para qué + CDS (o PSD guardou-se para a sede com o bimbo de Cascais a falar de esperança e foi a única reacção que passou na SIC, imagine-se). De substancialmente político no discurso, os comentadores televisivos escavaram umas duas vezes e parece que nada tinham para comentar. E passou-se assim o feriado do 10 de Junho, agora venha a bola (o Ronaldo joga?).

«... Pois, há tempo que eu também ando a dizer o mesmo. Uma vergonha sem nome porque consegue passar uma semana com um pedido de audiência urgente do PCP em cima da secretária, a que pelos vistos nem respondeu, mas fez saber à SIC N que estava com uma agenda muito preenchida, enquanto um país fica à espera do discurso do 10 de Junho para os basbaques ficarem de boca aberta porque o PR* vai dizer ao país o que deveria ter feito há uma semana. Um nojo, com os políticos a comentarem em fila (espero para ver o que vai dizer o PCP, Seguro a fazer figura de SG do PS, BE, um fdp qualquer do CDS e o bimbo Marco António do PSD...), tudo mau.»

Anónimo disse...

RFC, Não sabe escutar.

O CEMGFA pediu "respeito por Portugal e pelas Forças Armadas", o que nada tem a ver com respeito pelo PR. É uma intervenção de cravo e ferradura. Demarca-se do merecimento dos protestos, mas não pede que estes deixem de agir sobre quem agiam.

Merece pouco que o confundam com alguém levando o amo em braços.

Se o CEMGFA o agarrou, só demonstrou humanidade (não se deixa um doente ir de cara ao chão) e desembaraço e agilidade(mesmo engordado, foi o dignitário militar com o posto mais alto o mais atento, mais rápido e decidido sendo o primeiro a chegar junto do desmaiado impedindo-o de ir de focinho onde merecia)

RFC disse...

Adenda. Humm estive agora mesmo a googlar é o actual CEMGFA, general Pina Monteiro de seu nome, é de facto um sósia do Fernando Lima.

Anónimo disse...

Que espectáculo reles foi aquele da Guarda! Quando o Cavaco retomou a palavra, sem ter tido a delicadeza mínima de uma explicação ao público, o que diz bem da sua falta de educação, depois disso era ver a Cavaca e a Passolas a cochicharem uma com a outra. Autêntica cena de pátio.

Anónimo disse...

Deste dia captei também algumas coisas:

1. Na referência aos militares mortos nas guerras, referiu Angola e Moçambique, esqueceu-se da Guiné. Porquê?

2. O CEMGFA mostrou que merece o posto que ocupa - foi o mais rápido a reagir, muito antes de quaisquer outros.

3. Cavaco, ao ser ajudado, olhou espantado para os que o rodeavam. Na confusão do momento, prestes a desmaiar, será que pensou estar a ser alvo de sequestro num golpe de estado?

4. No início do discurso na cerimónia das condecorações, Cavaco dirige-se à Presidente da AR, ao PM, ao Presidente do STJ e só depois ao Presidente do TC.
Mas na disposição das cadeiras das entidades, alinhadas pela ordem protocolar, o Presidente do TC (4.º lugar) precedia o do STJ (5.º).
Porquê trocar a ordem no seu discurso? Já alinhou com Passos Coelho e Teresa Leal Coelho?
É que há pequenos pormenores que por vezes dizem muito.

5. Confrangedora a cena da saída teatral de AJSeguro do local das cerimónias, a abrir os braços em direcção aos jornalistas, como que a perguntar - "mas que raio, ninguém vem falar comigo?!"
Pediu aos acompanhantes para esperarem um pouco e lá debitou a cassete lamurienta dos últimos tempos, a "exigir" não sei quê ao Presidente.

6. Estranhei a coincidência de mais um pedido do PR para entendimentos entre governo e partidos, até ao próximo orçamento, com a marcação das primárias do PS para 28 de Setembro, a poucos dias da apresentação do OE na AR.

Anónimo disse...

Se o deixassem discursar atrás de um arbusto, no seu ambiente, não tinha desmaiado.

Anónimo disse...

O CEMGFA, general Pina, merece certamente uma alta condecoração.
Não vai ser esquecido no próximo 10 de Junho.

O Povo disse...


Já foi o seu segundo desfalecimento. E às três é de vez.