sexta-feira, setembro 26, 2014

«Os dias do fim»: uma retrospectiva [3]

Numa acção de campanha a 30 de Julho, António Costa mostrou por que o PS não era visto como alternativa ao governo mais extremista que o regime democrático conheceu: «A direita falhou no diagnóstico e na resposta, mas o PS tem tido dificuldade em ser visto pelos cidadãos como alternativa. Essa dificuldade resulta de se ter dado a entender que o que o distinguia do Governo era uma questão de ritmo e de dose.» E o próximo secretário-geral acrescentava: «O que o país exige não é que mudemos o ritmo nem diminuamos a dose, o que o país nos pede é que façamos diferente, com uma alternativa clara a este Governo».

Seria possível citar inúmeros exemplos de como António José Seguro aprisionou o PS nesta estratégia de se limitar a procurar refrear a política do Governo de «ir além da troika» (sem nunca denunciar que tais cortes não constavam do memorando). Recorde-se o caso do Orçamento do Estado para 2012, em relação ao qual, perante a decisão do Governo de cortar os subsídios de férias e de Natal, António José Seguro sugeriu que apenas fosse cortado um dos subsídios. O Tribunal Constitucional arrumou a questão, tendo declarado inconstitucionais ambos os cortes. Seguro festejou como se tivesse contribuído para o resultado.

3 comentários :

ECD disse...

Amanhã cedo subo ao 1º andar do Imaviz voto, esqueço o Tozé e passo para outra. Espero que o CC também possa passar para outra, isto é, passe a poder dedicar-se na integralidade a "ferroar" a camarilha. Este estado de necessidade deixou, no CC, um pouco solta a camarilha

Uma dica para 2ªfeira:

O que é que PPC sabe de ACS que nós não sabemos?

Cavaco satisfeito com esclarecimentos de Passos Coelho 26 Set, 2014, 20:27

"Cavaco Silva acha que Passos Coelho prestou todos os esclarecimentos no Parlamento. O presidente não quis comentar o caso Tecnoforma, alegando a defesa do superior interesse nacional"

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=769764&tm=9&layout=122&visual=61

Anónimo disse...

No fundo no fundo...o TOZÉ tem sido o anjo da guarda..o seguro da malta do pote.

Evaristo Ferreira disse...

Esta peça está uma maravilha, pois mostra bem como o Tozé Seguro já escorregou, caindo de cú.
Mais palavras, para quê?. Ele é um "sonso português".