sexta-feira, janeiro 09, 2015

Arnaldo Matos sobre a prisão de Sócrates

17 comentários :

Júlio de Matos disse...



Excelente, Arnaldo.


Um abraço...

Anónimo disse...

Já não era sem tempo que o PCP se manifestasse. Gente com memória não pode calar esta situação infame em que estes 'super magistrados'acharam( sim, acharam) necessário prender um ex-PM porque PARECE que enriqueceu ilícitamente e esteve a viver acima das suas capacidades. Ditadura justiceira!

Fernando Romano disse...

Sempre tive uma grande admiração por este senhor. Na primeira vez que o ouvi ao vivo no Pavilhão dos Desportos, pouco tempo depois do 25 de Abril, impressionou-me a sua lucidez sobre a caraterização das forças então em confronto, as respetivas contradições em jogo, a leitura que fazia da nova situação política. A explicação teórica do pós-Abril era ele que a dava e veiculava. Constava-se que os dirigentes dos outros partidos da altura não dispensavam a leitura dos seus editoriais no Luta Popular para melhor se inteirarem do que estava a ocorrer, de que fui leitor assíduo. Recordo-me de duas frases suas nesse jornal: uma, um ou dois dias antes da tentativa de golpe de 25 de Novembro, "O golpe social-fascista está por um cabelo"; outra, a quando do célebre discurso de V.Gonçalves na Lisnave, "Vasco Gonçalves tenta saltar por cima da sua própria cabeça". E confesso que foi só depois de ler a sua posição sobre Ramalho Eanes e respetiva candidatura a presidente da República que decidi, finalmente, apoiá-lo, visto que me parecia, com o seu boné militar demasiado grande, um ditador da América Latina. Participei em duas manifestações junto à prisão de Caxias pela sua libertação e dos seus correligionários, prisão a que se refere neste artigo, e que mereceu o silêncio e satisfação mal disfarçada do PCP e da UDP (hoje BE). Um ato vergonhoso que nunca foi bem explicado quanto aos seus responsáveis para a História não esquecer. Foi silenciado. Na prática (objetivamente) lutou, na sua perspetiva, pela - do mal o menos - construção de uma democracia, lutando, corajosamente, contra os novos candidatos a ditadores.

Por isso, muito grande é o meu apreço e satisfação por este seu artigo contra a prisão de José Sócrates, um artigo de um político (reformado?) inteligente, arguto e grande patriota, que gostaria de ver empenhado na política dos nossos dias.

Um senão: não era necessário, neste seu artigo, ressalvar por duas vezes que não gosta de Sócrates, deixando-se escorregar para o lugar comum de certos jornalistas e analistas que estão sempre a lembrar que sempre foram contra Sócrates, quando a evidência os força a reconhecer algumas das suas boas políticas. Não era necessário.

Fernando Romano disse...

Sempre tive uma grande admiração por este senhor. Na primeira vez que o ouvi ao vivo no Pavilhão dos Desportos, pouco tempo depois do 25 de Abril, impressionou-me a sua lucidez sobre a caraterização das forças então em confronto, as respetivas contradições em jogo, a leitura que fazia da nova situação política. A explicação teórica do pós-Abril era ele que a dava e veiculava. Constava-se que os dirigentes dos outros partidos da altura não dispensavam a leitura dos seus editoriais no Luta Popular para melhor se inteirarem do que estava a ocorrer, de que fui leitor assíduo. Recordo-me de duas frases suas nesse jornal: uma, um ou dois dias antes da tentativa de golpe de 25 de Novembro, "O golpe social-fascista está por um cabelo"; outra, a quando do célebre discurso de V.Gonçalves na Lisnave, "Vasco Gonçalves tenta saltar por cima da sua própria cabeça". E confesso que foi só depois de ler a sua posição sobre Ramalho Eanes e respetiva candidatura a presidente da República que decidi, finalmente, apoiá-lo, visto que me parecia, com o seu boné militar demasiado grande, um ditador da América Latina. Participei em duas manifestações junto à prisão de Caxias pela sua libertação e dos seus correligionários, prisão a que se refere neste artigo, e que mereceu o silêncio e satisfação mal disfarçada do PCP e da UDP (hoje BE). Um ato vergonhoso que nunca foi bem explicado quanto aos seus responsáveis para a História não esquecer. Foi silenciado. Na prática (objetivamente) lutou, na sua perspetiva, pela - do mal o menos - construção de uma democracia, lutando, corajosamente, contra os novos candidatos a ditadores.

Por isso, muito grande é o meu apreço e satisfação por este seu artigo contra a prisão de José Sócrates, um artigo de um político (reformado?) inteligente, arguto e grande patriota, que gostaria de ver empenhado na política dos nossos dias.

Um senão: não era necessário, neste seu artigo, ressalvar por duas vezes que não gosta de Sócrates, deixando-se escorregar para o lugar comum de certos jornalistas e analistas que estão sempre a lembrar que sempre foram contra Sócrates, quando a evidência os força a reconhecer algumas das suas boas políticas. Não era necessário.

Anónimo disse...

Este advogado continua com o mesmo estilo de Grande Educador!

Anónimo disse...

Que lata. Este grande educador, se tivesse acedido ao poder era fresco! Foge!

joao disse...

Magnífico poste, pela clareza e objectividade

Anónimo disse...

Primeiro levaram os comunistas,
Mas eu não me importei
Porque não era nada comigo.

Em seguida levaram alguns operários,
Mas a mim não me afectou
Porque eu não sou operário.

Depois prenderam os sindicalistas,
Mas eu não me incomodei
Porque nunca fui sindicalista.

Logo a seguir chegou a vez
De alguns padres, mas como
Nunca fui religioso, também não liguei.

Agora levaram-me a mim
E quando percebi,
Já era tarde.

Zé de Faro disse...

Ah, grande Arnaldo!É uma lição de dignidade. E o PCP e o Bloco de Esquerda e o Livre? Para esses anti-fascistas, desde que não lhe batam à porta, o fascismo não existe. Nojentos! Nunca ouviram dizer que em situações repugnantes, calar é mentir? Carneiragem!

Gungunhana Meirelles disse...

«Ora, como se vê, o segredo de justiça, violado por Sócrates, era o de que Rosário e Alexandre tinham violado a lei.»

Boa! Chega-lhes com força, Arnaldo!

Carlos Martins (Neca) disse...

"Com estas duas teorias, a direita, que é actualmente dona e senhora de todo o aparelho judicial, com os seus super-agentes, super-polícias e super-juizes, sabe de antemão que, nas actuais condições políticas, o caminho que a justiça acabará por fazer é unicamente o caminho da direita. Ou seja, o caminho que conduziu ao arquivamento dos processos Portucale, dos Submarinos, dos Pandur, das contrapartidas dos submarinos e da dívida da Madeira desviada por Alberto João Jardim, das contra-ordenações milionárias do Millennium BCP, e haverão de conduzir ao arquivamento ou absolvição dos processos dos amigos de Cavaco no BPN e dos amigos de Coelho, Portas e Marcelo no Banco e no Grupo Espírito Santo."...

"Começou outra vez a haver em Portugal uma justiça de direita, com processos políticos de direita e presos políticos de esquerda"

O rei vai nu mas só agora algumas vozes começam a inconformar-se; Mais vale tarde que nunca!
E no PS? Ainda não vi ninguém inconformar-se senão o Márito dos 90 anos. Será medo? Medo é com certeza!

Quando Deus distribuiu os tomates, havia muita gente distraída e não reclamou os seus.
Pelos vistos ainda continuam distraídos.

Anónimo disse...

preferia um grande educador do que um grande LÁPARO, no poder...

Anónimo disse...

Como vocês são a voz mais activa em defesa de Sócrates, deixo aqui uma duvida que tenho na cabeça desde que Sócrates foi preso...

É o seguinte, considerando que:

1) De acordo com as "noticias" largamente difundidas pelos jornais da pandilha, todo o caso contra Sócrates depende de hipotéticos ilicitos cometidos quando era primeiro ministro.

2) de acordo com o código de processo penal artigo 11ª
- "3 - Compete ao pleno das secções criminais do Supremo Tribunal de Justiça, em matéria penal:
a) Julgar o Presidente da República, o Presidente da Assembleia da República e o Primeiro-Ministro pelos crimes praticados no exercício das suas funções;
"
- "7 - Compete a cada juiz das secções criminais do Supremo Tribunal de Justiça, em matéria penal, praticar os actos jurisdicionais relativos ao inquérito, dirigir a instrução, presidir ao debate instrutório e proferir despacho de pronúncia ou não pronúncia nos processos referidos na alínea a) do n.º 3 e na alínea a) do n.º 4."


Se é assim, porque é que a instrução deste processo ainda está na mãos do juiz Carlos Alexandre??? Porque não está atribuido á secção respectiva do Supremo?

Não consigo imaginar outro sitio para colocar esta pergunta, onde alguem tenha interesse em responder.

Miguel

Anónimo disse...

Anónimo Miguel,
Eu explico, é que o Eng. Pinto de Sousa, vulgo José Sócrates, já não está no exercício de funções, nem goza de qualquer imunidade. Se quiser, é um como nós.
Quanto ao comentário do Arnaldo de Matos, para a minha geração que viveu a ver os vídeos do verão quente e teve a sorte de não os aturar ao vivo, continua doido e paranónico como sempre.
Pedro

Anónimo disse...

Oh anónimo Pedro, parece-me que não será bem como diz. Se Sócrates fosse como qualquer um de nós, não estaria preso preventivamente porque o juíz Alexandre , porventura não teria intuído que ter um amigo com uma conta de 20 milhões na Suiça , é crime; pedir dinheiro emprestado a um amigo, é crime, etc. (Claro, que isto tudo , baseado em fugas de informação que a Acusação insiste em passar para os pasquins do costume.Na realidade, nem sabemos se é nisto que os super-magistrados se baseiam ou é apenas pura vingança pelos 6 anos de Governação Sócrates que tanto incomodou certas corporações )
Como estamos a ver, os senhores magistrados até vão ser aumentados e o actual Governo vai ceder porque nas "costas dos outros vêem as deles".

Anónimo disse...

Caro Anónimo das 03:24,

Agradeço a explicação, mas a lei não diz que a competência do Supremo é para titulares do cargo em funções.

Diz sim (como transcrevi) que é da competência do Supremo, a instrução e julgamento de processos "pelos crimes praticados no exercício das suas funções; "

Visto que a tese é que o dinheiro tem origem em corrupção enquanto era primeiro ministro, dis respeito a crimes practicados no exercicio de funções.

Aliás o 1º ministro não tem imunidade nenhuma... a única diferença é que o orgão com competência é o Supremo.

Confesso que isto me faz impressão e gostava de ler a opiniao de um juiz ou advogado. Se calhar o que é "estranho" para um leigo é uma evidência para um profissional... Mas... tenho visto coisas mais estranhas.

Miguel

xica das barracas disse...

portugal é o unico país do mundo e repito do mundo onde os direitos humanos são violados a cada segundo e quem principalmente os viola pela opressão , perseguição , violencia e apatia são os membros do governo , entidades juridicas estatais , entidades de obrigaçáo social e entidades policiais e não só a nivel de funcionários superiores mas tambem por qualquer funcionario inferior . contratam para cargos que requerem conhecimentos e grande capacidade moral completos labregos que não sabem ou não teem capacidade para lidar com as mais elementares situações e portanto instala-se a apatia e negligencia e graves represalias contra alguem que questiona ou expõe a inutilidade desta gente.Em casos de violação dos direitos humanos uma vitima pedir ajuda ao ministerio publico ou ã provedoria de justiça é simplesmente perder tempo e desesperar pois são entidades inuteis que não ajudam ninguem e ignoram qualquer pedido de ajuda e ao contrario ainda fazem da vitima nova vitima espiando a sua vida e perseguindo-a tentando arruinar a sua vida.é tambem de salientar que a maior parte das queixas de vitimas de violação dos direitos humanos dirigidas ao ministerio publico ou á provedoria de justiça são imediatamente eliminadas ou descartadas por qualquer funcionario subalterno que as leia através de email.os cidadãos são tratados como lixo em portugal por estas entidades e teem que ficar caladinhos e engulir em seco senão vão presos!Como toda a gente sabe,pelas leis juridicas universais é inocente quem não é culpado,onde estão as provas de que socrates é culpado?não existem!então porque está preso e porque estão ou foram presos os amigos e a pobre mãe do socrates , que crimes cometeram?nenhum , então deixem todas estas pessoas em paz e encaminhem a vossa ociosidade e odio para outro planeta. tribunais,juizes,ministerio publico,provedoria de justiça,que vergonha!recomendo ao tal carlos alexandre ler o ditado da grande filosofa Lili Caneças que se tornou um hino didatico que reza ; estar vivo é o contrario de estar morto=ser inocente é o contrario de ser culpado !