terça-feira, dezembro 26, 2006

Sugestão de leitura

O blogue Reforma da Justiça, de Nuno Garoupa, costuma ser muito citado pelos “blogues jurídicos”. Este professor da Universidade Nova escreveu, entretanto, um artigo denominado “Justiça e economia” na revista Dia D do Público (de 22 de Dezembro). Tarda em ser citado desta vez. Aqui se reproduz um extracto:

    “O ministro Alberto Costa, com todos os defeitos que lhe possam imputar, é o melhor ministro da Justiça desde o 25 de Abril. (…) Não direi que todas as reformas, modificações, alterações, iniciativas que fez e teve foram excelentes, mas no global apontam no sentido de uma maior flexibilização de um sistema rígido, na modernização de um sistema caduco. A pouca importância que o poder político sempre devotou à Justiça (por alguma razão escapou ao saneamento revolucionário de 1975 que assolou o mundo económico, militar, universitário; tal era a importância que o poder judicial merecia aos vanguardistas da esquerda popular) e o formalismo dogmático vigente em anteriores pseudo-reformas contrasta com o dinamismo e o conteúdo sunstantivo das propostas que agora saem do Ministério da Justiça.”

5 comentários :

Anónimo disse...

O A. Costa, como homem de estado que provou ser, não receia confrontar as corporações e vai em frente com as suas convicções. No entanto, cometeu algumas inabilidades políticas designadamente com a questão das férias judiciais, ao deixar embrulhar os Juizes com funcionários e MPs. Teria sido conveniente fazer a distinção logo de inicio para evitar os aproveitamentos que se verificaram.!!!!
Advogado do Diabo

Anónimo disse...

Pois é, mas pondo de parte alguma falta de estratégia, as corporações esperneariam sempre. A arte de contornar, de superar,de postergar, neglegenciar, deixar andar,ete.etc, quem a domina a primor?? Sabedoria secular...Pobre país, pobre gente que tão grande fardo carrega! (escolho o anonomato porque essa gente mete medo)

O melga disse...

Essa gente actua na, penumbra, icognita,subterranea e até subersivamente. são conhecidos, na giria policial,por sustentaculos. No meu entender, com mais uns abanões à "costa", passam a supranumerários.

Anónimo disse...

Morderam o engodo e logo mostraram quem era o dono...

Anónimo disse...

Vale a pena gabar o Costa.
Basta olhar para o ar inteligente que tem.
Quanto a inabilidades talvez a mais grave tenha sido a de tentar seduzir o juiz errado em Macau..